icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/03/2014
19:41

Uma semana após as denúncias feitas pela ESPN resultarem na renúncia de Ary Graça, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) anunciou que firmou parceria com a PricewaterhouseCoopers para revisar os contratos de terceirização de serviços que foram alvo das investigaçaões da emissora. A promessa é que em, no máximo, cinco semanas os resultados sejam divulgados.

- A CBV está tomando todas as providências necessárias para investigar as denúncias e coibir irregularidades que sejam detectadas. Vamos realizar uma reavaliação ampla dos contratos de terceirização, incluindo alguns que já haviam sido cancelados pela atual gestão da entidade - afirmou o superintendente-geral da CBV, Neuri Barbieri.

Em comunicado, a entidade garante que os problemas nos bastidores não causarão efeito negativo nas quadras, mas nos últimos dias viu o Banco do Brasil ameaçar tirar o patrocínio ao esporte. Barbieri ainda ressaltou que o trabalho de auditoria será feito com seriedade para evitar novos escândalos.

- Isso será feito de forma profissional, com o apoio de uma auditoria de reputação internacional, para garantir a qualidade do trabalho e que não sejam cometidas injustiças - declarou.