icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/11/2014
15:19

O presidente da CBF, José Maria Marin, e o vice, Marco Polo Del Nero, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, estiveram nesta segunda-feira na sede da Fifa, em Zurique, na Suíça, junto com o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, para assinar um documento visando à implementação do Fundo de Legado da Copa-2014. Através dele, a Fifa irá destinar US$ 100 milhões (cerca de R$ 250 mil) para investimentos no futebol brasileiro.

Segundo a Fifa, entre as áreas beneficiadas estarão infraestrutura, futebol feminino e de base, assim como programas sociais e de saúde para comunidades carentes, focando especialmente nos 15 estados que não foram sedes do Mundial.

A CBF, no entanto, não terá a liberdade para gastar como bem entender. A entidade brasileira terá a responsabilidade de propor e implementar o projeto, enquanto monitoramento e controle, além do financiamento, serão da Fifa e necessitarão de aprovação prévia de Zurique. Todos os empreendimentos serão submetidos a uma auditoria anual, realizada pela empresa KPMG.

- Através deste Fundo Legado, a Copa do Mundo será um catalisador do desenvolvimento do futebol no Brasil, especialmente no âmbito do futebol para jovens e de base. Temos certeza de que os brasileiros se lembrarão por várias gerações da Copa como um torneio que contribuiu fundamentalmente para o nosso futebol - afirmou o presidente da CBF, José Maria Marin.