icons.title signature.placeholder Leo Burlá
10/12/2013
18:23

Após reunião entre o presidente de Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, e os clubes que constituem o Grupo de Trabalho instituído para debater as questões referentes ao calendário 2015, as partes envolvidas informaram que, a partir de 2015, os jogadores de cada clube não poderão disputar mais do que sete jogos por mês.

Esta determinação, costurada na reunião desta tarde, só abre uma brecha: o número pode ser aumentado para clubes que venham a disputar as quartas, as semis e as finais da Copa do Brasil e da Libertadores.

A CBF confirmou ainda que os Estaduais de 2014 vão sofrer redução imediata de quatro datas em seus calendários, aumentando assim o limite para os jogadores realizarem a pré-temporada. Foi assegurado também que não haverá jogos de competições nacionais em janeiro a partir de 2015 e que os atletas terão assegurado o direito de 30 dias ininterruptos de férias.

No documento assinado por Marin, o dirigente reiterou ainda que 'questões pertinentes à relação de emprego, tais quais pagamento de salários e número máximo de jogos por ano a serem disputados por cada atleta, devem ser discutidas entre clubes e seus jogadores, não cabendo à CBF intervir.'

Presidido por Marin, o encontro na sede da entidade contou com a presença de Marco Polo Del Nero, vice da CBF, e dos presidentes Alexi Portela (Vitória), Mario Gobbi (Corinthians), Eduardo Bandeira de Mello ( Flamengo), João Bosco Luz (Goiás), Ilídio Lico (Portuguesa) e Vilson de Andrade (Coritiba)




Novo regulamento da CBF prevê mudanças no calendário (Foto: Reprodução)