icons.title signature.placeholder RADARLANCEPRESS!
11/02/2015
19:04

Avaí e Chapecoense farão nesta quinta-feira, às 20h30min (de Brasília), na Ressacada, em Florianópolis, o clássico da quarta rodada do Canpeonato Catarinense. A Chapecoense vive fase excepcional. Ganhou seus três jogos, tem o melhor ataque da competição, com dez gols, foi vazado apenas uma vez (tem a melhor defesa) e lidera com nove pontos. Já o Avaí é uma decepção dois empates e uma derrota em três jogos, o que fez o time entrar na rodada na antepenúltima posição.

No time de Chapecó, a presença de Richarlyson no grupo de relacionados é a grande novidade. Mas o curinga deverá começar no banco de reservas. Mas Vinícius Eutrópio será obrigado a fazer duas mudanças em relação ao jogo com o Criciúma. Uma será na zaga. Para o lugar de Grolli, que está finalizando a sua transferência para o Cruzeiro, jogará Willian Thiego e outra no setor de criação, já que Gil tem uma lesão na coxa direita. Jogará Abuda.

Apesar das ausências, a Chapecoense entra com status de favorita. Mas não é assim que pensa o treinador da Chapecoense. Eutrópio acredita que o Avaí, pressionado para conseguir um bom resultado e evitar entrar na zona de rebaixamento, irá para o tudo ou nada.

E MAIS:
> Atacante do Joinville pede mais atenção no último passe
> Mesmo preso, Bruno irá receber uma bolada do Flamengo

- Com certeza teremos um novo Avaí. O time vai mudar sua escalação, pois precisa disso. A tabela exige isso, e a gente tem que estar preparado para essa investida que o nosso rival deverá fazer - disse.

No Avaí, a principal mudança será no ataque. O técnico Geninho considera que o atacante André Lima ainda está longe da melhor forma e, por isso, deixará o veterano no banco, apostando na dupla de ataque que ele testou no treino da terça-feira, Romulo e Anderson Lopes, para buscar a primeira vitória e não correr risco de ficar fora do hexagonal final (no Catarinense, os dez times jogam em turno único, os seis primeiros disputarão o título e os quatro últimos jogarão um quadrangular no qual os dois últimos cairão).

Mesmo no banco e aceitando a opção de Geninho por outros companheiros, André Santos diz que o time entrará pressionado, mas saberá admnistrar a situação.

— Pressão há sempre. O Avaí tem a responsabilidade de chegar à final do Campeonato Catarinense. Estamos buscando o 17º título estadual e estamos trabalhando muito pra isso. Nós temos a obrigação de estar nessa classificação - disse André à Rádio CBN.