icons.title signature.placeholder Lucas Faraldo
27/11/2014
10:09

Na mira do Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta de suposta escalação irregular do meia Petros, o Corinthians criou uma espécie de margem de segurança pela Libertadores. Mesmo se for punido no tapetão, o Timão segue dependendo apenas de si para conquistar uma vaga no torneio sul-americano da próxima temporada.

A lógica é simples: se condenado pelo Pleno do STJD no julgamento desta quinta-feira, o Timão perde quatro pontos no Brasileirão. Após engatar quatro vitórias seguidas, a equipe alvinegra soma 66 e ocupa a terceira posição. Se tiver sua pontuação reduzida para 62, o Corinthians cai para a quarta posição (ultrapassado pelo Internacional), mas se mantém no G4 (grupo de acesso à Libertadores).

Vale lembrar que, após o Corinthians ser absolvido em primeira instância, no fim de outubro, os departamentos jurídicos de Internacional e Grêmio solicitaram um recurso, que será analisado pelo Pleno. Os clubes gaúchos são concorrentes diretos do Timão na luta por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

CASO PETROS

O meia Petros assinou seu contrato de renovação com o Corinthians no dia 1º de agosto. Na ocasião, a diretoria alvinegra comprou 50% dos direitos do atleta, que até então estava emprestado pelo Hortolândia (SP). Como de regra, o documento entraria em vigor no dia seguinte. Assim, no domingo, dia 3, o camisa 40 disputou partida contra o Coritiba, já sob novo contrato.

Para a Procuradoria do STJD, no entanto, o novo documento somente passaria a valer no dia 4 (segunda-feira, primeiro dia útil após a operação). Assim, o Timão corre risco de perder os três pontos relacionados à partida contra o Coxa, além do ponto conquistado devido ao empate.

A dúvida no registro de Petros, porém, fez com que Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), assumisse a responsabilidade do imbróglio em nome da entidade. Segundo ele, uma secretária da FPF colocou a data errada no documento. Ainda assim, contudo, o Corinthians pode ser punido.

Por encontrão em árbitro, Petros já esteve na mira do STJD (Foto: Igor Siqueira)

DESCRENÇA EM PUNIÇÃO

Ao término da partida entre Corinthians e Grêmio, disputada em Itaquera no último domingo e vencida pelo Timão por 2 a 1, técnicos das duas equipes falaram sobre a possível punição alvinegra. Enquanto Mano Menezes torce por uma absolvição, Felipão ironiza a necessidade de um julgamento.

– Dentro do campo já ganhamos, espero que fora dele também, a justiça prevaleça, porque o Corinthians não cometeu equívoco. Me informo disso porque passo para os jogadores. Antes de jogo decisivo se fala sobre algo que pode acontecer fora de campo, e passo, porque mexe com a cabeça deles. Eles precisam de tranquilidade para render bem. Mas agora eu vou fazer o melhor que nós pudermos dentro de campo, seis pontos em dois jogos. Qualquer outra coisa é exercício de subjetividade, não vou me ater a fazer isso – afirmou o treinador do Corinthians.

– E tu acredita em alguma coisa nesse julgamento? O Corinthians vai ganhar quatro pontos, não perder. Se esse julgamento fosse o correto, eram 21 pontos, igual o América-MG, ou seis. Quando a Federação assumiu, já acertou tudo. Não tem jogo, isso aí é bobagem – comentou o comandante do Grêmio.