icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/03/2014
16:26

A diretoria do Mogi Mirim, por meio de uma nota divulgada no site do clube, anunciou que irá recorrer da punição que interditou o Estádio Romildão. Segundo decisão da Federação Paulista de Futebol (FPF), o estádio da equipe alvirrubra será inutilizado até o término das investigações sobre as acusações de racismo sofridas pelo volante Arouca, do Santos.

A carta aberta publicada pelo Mogi Mirim classifica como “decisão pessoal do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da FPF” a interdição de seu estádio. Na opinião da diretoria alvirrubra, a punição foi baseada em fatos veiculados “em noticiário esportivo”, não havendo provas concretas contra a torcida local.

Na noite da última quinta-feira, após a vitória do Santos para cima do Mogi Mirim pelo placar de 5 a 2, o volante Arouca foi insultado com xingamentos racistas vindos do alambrado do Romildão. O jogador, que concedia entrevista na beira do gramado, ficou visivelmente constrangido com a situação.

Após ato de racismo, Arouca desabafa sobre episódio