icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
26/03/2014
07:10

O “parto” demorou dez meses – três a mais do que a primeira previsão –, mas, aos 27 anos de idade, a Granja Comary, em Teresópolis, renasce. Chegou ao fim a reestruturação feita pela CBF na casa da Seleção Brasileira, que custou R$ 15 milhões. A reinauguração é nesta quarta-feira, em um evento que terá os presidentes de clubes e federações como convidados especiais.

O Centro de Treinamento Heleno Nunes, nome oficial da Granja, ganhou cara nova. Todos os setores receberam intervenções. Os 22 quartos duplos dos alojamentos, por exemplo, foram substituídos por 30 suítes individuais e seis duplas. O espaço para Felipão será caprichado: uma suíte master de 54m².

O aparato para trabalho médico também teve um upgrade, com a construção de uma piscina especial e a instalação de aparelhagem moderna para preparação física e tratamento fisioterápico. Os campos também foram reformados. Em um deles será possível realizar treinos secretos durante a presença do Brasil.

A CBF garante que toda a estrutura está pronta, não sendo necessária a realização de retoques para receber a delegação de Luiz Felipe Scolari, na preparação para a Copa-2014, a partir de 26 de maio.

O presidente José Maria Marin e o vice Marco Polo del Nero terão uma chance de ouro para lançar a candidatura à presidência da entidade. Mas o mandatário da Federação Catarinense, Delfim de Pádua Peixoto, que faz parte da chapa da situação, garante que a eleição de 16 de abril não será assunto.

– Não tem nada de eleição. Nem sei quando será. Vamos acompanhar a inauguração – disse ele ao LANCE!Net.

Mesmo com a promessa de não se falar em eleição explicitamente, a CBF dará tratamento especial aos convidados. Eles terão o direito de serem guiados por Marin para conhecerem a nova Granja.

Retorno alivia Teresópolis

Com a revitalização da Granja Comary, Teresópolis vai novamente colher os louros por ser a casa da Seleção Brasileira. Mas a cidade por muito pouco não ficou fora da rota do time principal do Brasil.

No que dependesse do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, a Seleção teria um CT novo na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Sorte da cidade da Região Serrana que o terreno comprado pela entidade ficava em um brejo.

– Esse processo foi desconhecido para nós (mudança). Mas o importante mesmo é que a Seleção permanece aqui e que possamos atender às expectativas – comentou ao LANCE!Net o vice-prefeito Márcio Catão, que preside uma comissão municipal para liderar as intervenções na cidade visando à Copa.

– O momento é especial e vamos ver como podemos aproveitar. Perfeição não existe, mas buscamos ela. Vamos dar um show de bola – disse ele, prevendo movimentação grande no município em breve.

Brasil há quase cinco anos longe

Faz tempo que a Seleção Brasileira principal não pisa na Granja Comary. A última vez foi em 2009, quando o técnico ainda era Dunga e o time se preparava para a disputa da Copa no ano seguinte. Desde então, o centro de treinamento da CBF abrigou as Seleções de base e feminina, além de alguns clubes, como o Fluminense. Na Copa, o Brasil vai voltar a Teresópolis depois de cada jogo. A delegação não teria a obrigação de fazer isso entre as partidas do mata-mata, mas achou melhor assim.