icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/12/2013
15:36

O título argentino será decidido somente no dia 15 de dezembro, mas nesta segunda-feira já começaram discussões sobre o fato do duelo entre Vélez Sarsfield e San Lorenzo, dois clubes que disputam diretamente o título do Torneio Inicial, ser jogado somente com torcida do Vélez na última rodada. Até mesmo a absurda sugestão de uma decisão com o estádio vazio foi citada.

O autor da proposta do título ser disputado em um campo sem público foi o presidente do San Lorenzo, Matías Lammens. O cartola acredita que alguns torcedores de seu clube tentarão burlar a proibição de entrada de torcedores visitantes e se mesclarão entre os seguidores do Vélez no José Amalfitani. Para evitar problemas de segurança, Lammens defende que o decisão do título argentino seja sem torcida de qualquer dos dois times envolvidos.

- Já houve dois mortos. O melhor seria que se jogasse sem público. De qualquer forma vai ter algum torcedor do San Lorenzo que queira ir ao jogo. É lógico - disse Lammens.

E MAIS:

>De olho na Sul-Americana, Lanús consegue adiar jogos do Argentino
>San Lorenzo empata e terá de decidir título contra o Vélez, fora de casa

San Lorenzo e Vélez Sarsfield cultivam uma realidade bastante recente, iniciada pelos idos de 2004. Na ocasião, começaram as provocações. Os torcedores do Ciclón alegam que seus rivais são os outros quatro grandes históricos (Boca, River, Racing e Independiente) e o Huracán por questões de bairro. Já os do Vélez dizem que seu clube possui mais conquistas internacionais.

A discussão chegou ao seu ponto alto quando antes de um jogo entre os dois clubes, em 2004, no José Amalfitani, a diretoria do Vélez exibiu no gramado as taças da Libertadores e do Mundial, conquistadas pela equipe em 1994. Títulos que o San Lorenzo, embora sendo um dos cinco grandes históricos do futebol argentino, não possui.

Já foram dois mortos relacionados a confrontos relacionados com os jogos entres os dois clubes. O primeiro foi o torcedor do Vélez, Emanuel Alvarez, e depois a vítima foi Ramón Aramayo, fã do San Lorenzo, cuja morte foi colocada na conta da polícia argentina.