icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/07/2013
15:42

José Maria Marin fez escola no futebol Sul-Americano. Na premiação do título da Copa Libertadores, o presidente da Federação Colombiana de Futebol, Luis Bedoya, tentou imitar o mandatário da CBF e por muito pouco não embolsou uma das medalhas distribuídas ao vice-campeão Olimpia, derrotado pelo Atlético-MG. A ação do dirigente colombiano foi flagrada pela Fox Sports latina.

Bedoya estava na fila de dirigentes que distribuíram as medalhas e, quando o fluxo de pessoas teve uma queda, ele embolou a medalha na mão esquerda. Mas os planos de colocar no bolso o objeto de prata foram frustrados quando um dos organizadores da premiação foi verificar se o cartola já estava com a medalha em mãos para continuar a entrega.

José Maria Marin, ainda na época que era vice-presidente da CBF, teve mais sucesso, conseguindo ficar com uma das medalhas de campeão da Copa São Paulo-2012. O goleiro Matheus Vidotto, do Corinthians, acabou de mãos vazias, mas recebeu o prêmio do dirigente depois. Como Bedoya, Marin também foi flagrado pelas câmeras de televisão.

José Maria Marin fez escola no futebol Sul-Americano. Na premiação do título da Copa Libertadores, o presidente da Federação Colombiana de Futebol, Luis Bedoya, tentou imitar o mandatário da CBF e por muito pouco não embolsou uma das medalhas distribuídas ao vice-campeão Olimpia, derrotado pelo Atlético-MG. A ação do dirigente colombiano foi flagrada pela Fox Sports latina.

Bedoya estava na fila de dirigentes que distribuíram as medalhas e, quando o fluxo de pessoas teve uma queda, ele embolou a medalha na mão esquerda. Mas os planos de colocar no bolso o objeto de prata foram frustrados quando um dos organizadores da premiação foi verificar se o cartola já estava com a medalha em mãos para continuar a entrega.

José Maria Marin, ainda na época que era vice-presidente da CBF, teve mais sucesso, conseguindo ficar com uma das medalhas de campeão da Copa São Paulo-2012. O goleiro Matheus Vidotto, do Corinthians, acabou de mãos vazias, mas recebeu o prêmio do dirigente depois. Como Bedoya, Marin também foi flagrado pelas câmeras de televisão.