icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/02/2015
16:58

Vagner Love, enfim, vestiu a camisa do Corinthians. Dez anos depois de conceder entrevista coletiva e não ter acertado com o clube, o atacante pôde falar como um corintiano. Na tarde desta sexta-feira, diante de dezenas de profissionais de imprensa, o último reforço do Timão para a temporada esbanjou alegria e confiança. De quebra, ainda rasgou elogios à torcida alvinegra e diz não se importar com o passado no maior rival, o Palmeiras.

Vestindo a camisa 80 mil - número referência à quantidade de sócios-torcedores do clube -, Love se colocou à disposição de Tite para jogar contra o Botafogo-SP, neste sábado (ele já está relacionado para a partida), e diante do rival São Paulo, na próxima quarta-feira, pela Libertadores. O centroavante, que sempre fez questão de curtir o Carnaval das escolas de samba no Rio de Janeiro, avisou que o deste ano não o seduz. Sim, Love prometeu que mesmo de folga no domingo não irá à avenida.

Veja abaixo, os principais trechos da entrevista coletiva do novo reforço do Timão:

O ACERTO
"Fiquei muito feliz com a proposta feita agora pelo Corinthians. Passou um filme na cabeça. Há dez anos eu quase acertei e não assinei. Foi olho no olho, coisa de homem, como deve ser. Quero entrar em campo logo, estou muito motivado. Na segunda-feira, quando passei por aquele portão ali, eu entendi que hoje sou jogador do Corinthians. Minha família ficou muito feliz. Minha mãe, tem até um vídeo, ela cantando a música do bando de loucos. Todos estão muito felizes por eu estar de volta e ter acertado com um grande time igual o Corinthians."

PASSADO PALMEIRENSE
"A camisa caiu bem. Passado é passado. Sou muito grato ao Palmeiras por ter me projetado no futebol brasileiro e mundial. Mas agora sou jogador do Corinthians e vou fazer de tudo pelo Corinthians. Não vou comentar a outra torcida. Vou falar da minha torcida. Eles apoiam do início ao fim. Quando a torcida te incentiva, dificilmente você vai deixar de correr e de lutar. Ali tem pai de família, como a gente. Muitos deixam de comprar o leite do filho para ver o jogo do Corinthians."

JOGA QUANDO?
"Desde que eu assinei o contrato. Quero muito estar em campo, muito jogar. Estou muito motivado. Depois que você passa do portão de fora pra dentro, você já entra no clima, querendo. Foi o que aconteceu comigo. Pensei: hoje eu faço parte do Corinthians. Se eu pudesse já teria ido para a Colômbia, mas o Tite é quem vai decidir. Vinha treinando, trabalhando. Estou à disposição. Aqui é um grupo, todos estão à disposição para jogar. Tite é quem vai decidir se joga eu, o Guerrero ou os dois juntos. Não sei se eu vou ser relacionado para o jogo de amanhã (contra o Botafogo-SP). Se for, vai ser muito legal. Mas ainda não sei."

COMO CONQUISTAR A FIEL?
"Me empenhando, correndo. Não desistindo de nenhuma bola, estar sempre disposto a jogar. Igual como sempre foi, onde eu passei, sempre fiz isso. Não vai faltar garra, e assim que eu vou jogar aqui no Corinthians, como eu sempre joguei."

CONDIÇÃO FÍSICA
"Sobre a pré-temporada, naquele jogo do Palmeiras, eu só tinha quatro dias de treino. Impossível estar no peso depois de 50 dias de férias. Agora cabe à comissão técnica me avaliar. Eu estou bem para jogar."

POSIÇÃO EM CAMPO
"No CSKA eu vinha sendo um segundo centroavante, vindo mais de trás, quase como um meia. Na China também. Mas posso jogar nas duas funções. Vai depender do Tite. Hoje, mais experiente, eu consigo fazer mais de uma função. Hoje a velocidade não é a mesma, mas eu consigo fazer outras funções."

CURTIR O CARNAVAL?
"Eu particularmente não vou curtir. Se fosse anos atrás, com certeza eu iria. Mas hoje não. Vou estar em casa, vou me preparar, tem jogos importantes pela frente. Mas claro que dá para curtir com moderação, os jogadores devem fazer isso mesmo, mas com moderação."

TORCIDA DO CORINTHIANS
"Só vi o Corinthians jogando, mesmo antes de não ser jogador do Corinthians. Eu me arrepiei com a torcida, e no dia seguinte o Edu veio na minha casa, pra me contratar. Eu quero ser mais um do bando de louco. Vi esse jogo da Libertadores, e outros jogos, gosto de ver futebol, e a torcida do Corinthians, pra mim hoje, é a melhor para incentivar. Incentiva do início ao fim. A torcida do Corinthians está de parabéns pelo que ela faz e espero que continuem fazendo da nossa Arena um caldeirão."

CORINTHIANS E FLAMENGO, TIMES DE MASSA
"São as duas maiores torcidas do país, há muita cobrança. Sei que vai haver pressão por que eu joguei no maior rival, mas eu vou mostrar o meu valor."

GUERRERO OU LUÍS FABIANO?
"Vocês querem me colocar numa fogueira, numa "fight". Os dois são excelentes centroavantes."