icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Felippe Rocha
icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Felippe Rocha
04/07/2013
19:25

O apoiador Carlos Alberto, do Vasco, conseguiu uma nova vitória nos tribunais diante do doping em que foi flagrado no dia 2 de março, após partida contra o Fluminense. A audiência, desta vez no Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, deu parecer favorável ao jogador por 6 votos a 3. O caso, no entanto, ainda cabe novo recurso e pode parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O JULGAMENTO

Carlos Alberto chegou ao TJD-RJ cerca de meia hora antes do julgamento, marcado para às 18h. Acompanhado de sua esposa, o jogador demonstrou tranquilidade. Superstição ou não, o atleta trajava a mesma roupa da primeira audiência, quando foi absolvido.

A advogada do atleta e do Vasco, Luciana Lopes, sustentou sua preliminar mais uma vez baseada nas falhas do processo do exame antidoping. Os auditores, em sua maioria, acolheram a preliminar concordando com os erros apresentados no processo e no laudo do exame.

A DECISÃO

Após uma hora e meia de julgamento, o Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, decidiu, então, por seis votos a três, acolher a preliminar no sentido de absolver Carlos Alberto pela imprestabilidade ou vício do laudo.

Ainda não há um prazo definido para a apresentação ou não de um recurso por parte da acusação.

ENTENDA O CASO

Carlos Alberto foi flagrado no exame antidoping no dia 2 de março de 2013, após a partida contra o Fluminense válida pelas semifinais da Taça Guanabara. Foram encontradas as substâncias probidas Hidroclorotiazida e Carboxi-Tamoxifeno. O jogador fazia uso de suplementação baseada em tratamentos ortomoleculares. Sua defesa argumentada foi a de contaminação destes suplementos.

RENOVAÇÃO COM O VASCO

A nova absolvição de Carlos Alberto pode dar um novo rumo à sua situação no Vasco. O jogador terá seu contrato encerrado em 2 de agosto e, até o momento, o clube ainda não apresentou uma proposta de renovação ao atleta.

O apoiador Carlos Alberto, do Vasco, conseguiu uma nova vitória nos tribunais diante do doping em que foi flagrado no dia 2 de março, após partida contra o Fluminense. A audiência, desta vez no Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, deu parecer favorável ao jogador por 6 votos a 3. O caso, no entanto, ainda cabe novo recurso e pode parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O JULGAMENTO

Carlos Alberto chegou ao TJD-RJ cerca de meia hora antes do julgamento, marcado para às 18h. Acompanhado de sua esposa, o jogador demonstrou tranquilidade. Superstição ou não, o atleta trajava a mesma roupa da primeira audiência, quando foi absolvido.

A advogada do atleta e do Vasco, Luciana Lopes, sustentou sua preliminar mais uma vez baseada nas falhas do processo do exame antidoping. Os auditores, em sua maioria, acolheram a preliminar concordando com os erros apresentados no processo e no laudo do exame.

A DECISÃO

Após uma hora e meia de julgamento, o Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, decidiu, então, por seis votos a três, acolher a preliminar no sentido de absolver Carlos Alberto pela imprestabilidade ou vício do laudo.

Ainda não há um prazo definido para a apresentação ou não de um recurso por parte da acusação.

ENTENDA O CASO

Carlos Alberto foi flagrado no exame antidoping no dia 2 de março de 2013, após a partida contra o Fluminense válida pelas semifinais da Taça Guanabara. Foram encontradas as substâncias probidas Hidroclorotiazida e Carboxi-Tamoxifeno. O jogador fazia uso de suplementação baseada em tratamentos ortomoleculares. Sua defesa argumentada foi a de contaminação destes suplementos.

RENOVAÇÃO COM O VASCO

A nova absolvição de Carlos Alberto pode dar um novo rumo à sua situação no Vasco. O jogador terá seu contrato encerrado em 2 de agosto e, até o momento, o clube ainda não apresentou uma proposta de renovação ao atleta.