icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2013
11:07

Baiano do Rio de Janeiro. É praticamente assim que o goleiro Felipe se considera. Nascido no Rio, o goleiro rubro-negro começou a carreira nas categorias de base do Vitória e, quando subiu aos profissionais, ficou no clube por mais três temporadas. Com alguns títulos na passagem pelo Rubro-Negro baiano, Felipe conhece bem o peso da torcida do Bahia, o maior rival.

- Nasci no Rio, mas fui criado lá, por isso sei da força que tem a torcida do Bahia. É como a do Flamengo. A torcida baiana incentiva o tempo todo e vão comparecer em massa nesta quarta-feira. Mas não podemos deixar o extracampo influenciar - comentou o goleiro, que ainda lembrou que muitos amigos estarão presentes na partida:

- Pode ter certeza de que uns 50 estarão na arquibancada. Amigos de infância, meus pais. Com certeza será uma festa boa, mas só será recompensada com uma vitória do Flamengo.

Mesmo vivendo em meio a uma crise política, o Bahia é o quinto colocado no Brasileiro, com 16 pontos, com quatro vitórias. O time baiano está a uma posição do G-4. Já o Rubro-Negro está em 15º, com dez pontos conquistados, tentando se afastar cada vez mais da zona de rebaixamento.

- É um adversário que está crescendo, vive um grande momento, e o treinador conseguiu mudar totalmente a postura do time. O clube está vivendo um momento político complicado, mas é algo que não está fazendo a diferença dentro de campo. A torcida vai ajudar, o estádio vai estar lotado, conheço bem a torcida do Bahia. Esperamos fazer uma boa partida - disse.

Felipe está no Flamengo desde 2011 e conquistou apenas um título: o Carioca daquela temporada, e já disputou atá o momento 137 partidas pelo Rubro-Negro. No Vitória, o arqueiro conquistou o Campeonato Baiano em 2002, 2003, 2004 e 2005, além da Copa do Nordeste em 2003.

Baiano do Rio de Janeiro. É praticamente assim que o goleiro Felipe se considera. Nascido no Rio, o goleiro rubro-negro começou a carreira nas categorias de base do Vitória e, quando subiu aos profissionais, ficou no clube por mais três temporadas. Com alguns títulos na passagem pelo Rubro-Negro baiano, Felipe conhece bem o peso da torcida do Bahia, o maior rival.

- Nasci no Rio, mas fui criado lá, por isso sei da força que tem a torcida do Bahia. É como a do Flamengo. A torcida baiana incentiva o tempo todo e vão comparecer em massa nesta quarta-feira. Mas não podemos deixar o extracampo influenciar - comentou o goleiro, que ainda lembrou que muitos amigos estarão presentes na partida:

- Pode ter certeza de que uns 50 estarão na arquibancada. Amigos de infância, meus pais. Com certeza será uma festa boa, mas só será recompensada com uma vitória do Flamengo.

Mesmo vivendo em meio a uma crise política, o Bahia é o quinto colocado no Brasileiro, com 16 pontos, com quatro vitórias. O time baiano está a uma posição do G-4. Já o Rubro-Negro está em 15º, com dez pontos conquistados, tentando se afastar cada vez mais da zona de rebaixamento.

- É um adversário que está crescendo, vive um grande momento, e o treinador conseguiu mudar totalmente a postura do time. O clube está vivendo um momento político complicado, mas é algo que não está fazendo a diferença dentro de campo. A torcida vai ajudar, o estádio vai estar lotado, conheço bem a torcida do Bahia. Esperamos fazer uma boa partida - disse.

Felipe está no Flamengo desde 2011 e conquistou apenas um título: o Carioca daquela temporada, e já disputou atá o momento 137 partidas pelo Rubro-Negro. No Vitória, o arqueiro conquistou o Campeonato Baiano em 2002, 2003, 2004 e 2005, além da Copa do Nordeste em 2003.