icons.title signature.placeholder David Nascimento
25/03/2014
00:11

O conselheiro do Flamengo Leonardo Ribeiro (Capitão Léo) esteve na noite desta segunda-feira, na Gávea, para prestar o primeiro depoimento no inquérito gerado a partir de denúncia feita pelo presidente rubro-negro, Eduardo Bandeira de Mello, no Conselho de Administração do clube, a pedido do vice-presidente de marketing, Luiz Eduardo Baptista. Bap foi acusado pelo Capitão Léo de sujeitar o Flamengo aos interesses da Sky, empresa que preside, fato este que desagradou a diretoria do Flamengo e fez com que o conselheiro virasse alvo de investigação por possível violação aos artigos 49 e 50 do estatuto rubro-negro. Ao presidente da Comissão, Gilberto Cardoso Filho, Capitão Léo arrolou Bap como testemunha do inquérito, fazendo com que ele também preste depoimento.

- Compareci na Comissão e respondi todas as perguntas. Confirmei para os membros da Comissão e o presidente Gilberto Cardoso de que dei minha opinião na Federação, sendo aclamados por todos e aí mostra uma incoerência. E como a representação é feita pelo presidente do Conselho Diretor, doutor Bandeira de Mello, arrolei na minha defesa o doutor Bap como testemunha. Isso porque vou provar que existe um conflito de interesses quando ele ocupa um cargo como a vice-presidência de marketing e é presidente da Sky. Como sei que tem um grande isolamento contra a Sky, que é o quarto maior anunciante do país, é uma luta da formiguinha contra o gigante e vou tentar derrubar o elefante. E vou pedir a presença da imprensa nesse dia para desmascará-lo e provar que existe, sim, um conflito de interesse - afirmou Leonardo Ribeiro. 

Leonardo Ribeiro pode, se for levado para julgamento e considerado culpado, ser até eliminado do quadro de sócios do Rubro-Negro. O artigo 49 prevê punição para quem "veicular expressões desonrosas, por qualquer meio de comunicação, contra o Flamengo, ou os membros de seus Poderes, em campanha eleitoral, ou em razão de suas funções". Já o artigo 50 pune quem "praticar ato de grave indisciplina social ou desportiva. Incorre na mesma penalidade quem usar ou envolver o nome do Flamengo em campanha de qualquer natureza, estranha aos objetivos do clube." O conselheiro comentou sobre o motivo de ter sofrido esta denúncia.

- A denúncia que o Bap fez foi porque os contratos de televisão possuem a interveniência da Federação. E isso faz com que ele perca influência nos demais contratos. Aí ele tentou me intimidar, junto com a oposição, fazendo esta denúncia, mas o feitiço acabará virando contra o feiticeiro porque ele será chamado para prestar depoimento e neste momento vamos desmascarar o Bap, começando com o questionamento da política dos ingressos caros e diminuição do desconto do sócio-torcedor - concluiu Capitão Léo.

De acordo com o estatuto do Flamengo, um parecer deve ser feito pela Comissão de Inquérito do Conselho de Administração em até dois meses, levando o caso ao plenário que decidirá, por maioria dos votos, qual rumo deve ser tomado no caso. Ainda não foi decidido quando e quem dará o próximo depoimento na Comissão para contribuir na investigação do caso.