icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/12/2013
14:33

Vitali Klitschko, campeão mundial de boxe na categoria peso-pesado, pelo Conselho Mundial de Boxe (WBC, na sigla em inglês), optou por deixar o esporte de lado para se dedicar exclusivamente à política. Eleito parlamentar na Ucrânia, o boxeador de 42 anos é um dos principais nomes de oposição ao presidente do país, Viktor Yanukovych (eleito em 2010), e já expressou o desejo de se candidatar a presidente em 2015.

O Conselho Mundial de Boxe apoiou Klitschko na decisão e o elegeu como campeão mundial emérito na categoria, o que permite que o ucraniano volte a defender o cinturão, desafiando quem quer que seja o sucessor, caso opte por retornar aos ringues.

- Quero agradecer à WBC e ao seu presidente, Jose Sulaiman, pelo apoio em nossa luta pela liberdade e democracia na Ucrânia. É uma honra ter o título mundial da WBC e eu sempro o fiz com orgulho. A oferta da WBC (título emérito) me dá, teoricamente, a oportunidade de retornar para defender o título, o que eu não penso em fazer atualmente - falou o ucraniano.

Klitschko não encerrou a carreira definitivamente, mas deixou claro que não pretende voltar a lutar. Com a decisão, o título mundial da categoria está vago e o Conselho Mundial ainda não definiu como será dcidido o novo dono do cinturão.

Em sua carreira no boxe, Klitschko lutou 47 vezes. Os números surpreendem: 45 vitórias, sendo 40 nocautes, e duas derrotas apenas.

Ele obteve o título mundial no peso-pesado pela primeira vez em 2004. Após uma pausa de quatro anos na carreira em virtude de uma lesão, ele retornou em 2008 e recuperou o cinturão ao derrotar o então detentor Samuel Peter.

Seu irmão, Wladimir Klitschko, segue lutando aos 37 anos. Ele é campeão mundial na categoria peso-pesado por quatro entidades diferentes, com 64 vitórias e três derrotas na carreira.