icons.title signature.placeholder Bernardo Cruz e Guilherme Cardoso
01/02/2015
08:01

O sonho de qualquer esportista é conquistar um título importante por seu país, principalmente uma medalha olímpica ou um mundial. Mas o que fazer após atingir tal objetivo e perder espaço na seleção nacional? Bom, o francês Bertrand Roiné decidiu mudar de nacionalidade. E neste domingo, às 14h15 (de Brasília), entra em quadra pelo Qatar contra sua nação natal, a França, na luta pelo título do Campeonato Mundial masculino de handebol, na Arena Lusail, no Qatar, o segundo de sua carreira. O campeão ainda garante uma vaga na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro.

Aos 33 anos, o armador é o único jogador entre os donos da casa a ter uma conquista do mundo. Em 2011, quando ainda defendia a camisa francesa, ele faturou o Mundial na Croácia. Agora, quatro anos depois, luta pelo bicampeonato justamente contra alguns ex-companheiros.

Roiné é um dos nove nacionalizados do Qatar para o Mundial deste ano. E ao lado dos qataris já entrou para a história mesmo antes da decisão. Isso porque, pela primeira vez, uma equipe não-europeia garante um lugar no pódio na competição. E se a festa já foi grande na Arena Lusail nas fases anteriores, imagine como será se os donos da casa faturarem o título inédito.

Mas o francês naturalizado qatari preferia ter outro adversário.

- Preferia enfrentar a Espanha na final, uma vez que pegar a França na decisão é uma missão quase que impossível. Mesmo assim estamos jogando muito bem e precisamos acreditar que podemos conquistas o título - afirmou Roine ao LANCE!Net.

Além da força do adversário, pesa também a ligação com o país natal. Em entrevista à mídia francesa chegou a dizer que não se sente um qatari de coração e que gostaria de ver a França campeão caso seu atual time não chegasse tão longe.

Roiné defendeu a seleção francesa pela primeira vez em 2005. Campeão mundial em 2011, não participou dos títulos olímpicos de 2008 e 2012. Sem espaço, aceitou se nacionalizar qatari a partir de 2013 após pedido do técnico Valero Rivera. Desde 2012, até defende o Lakhwiya Doha.

Se o Qatar quer entrar ainda mais na história com seu primeiro título mundial, Roiné quer ficar marcado por conquistas com duas seleções diferentes. Nem que seja justamente contra seu país natal.

- É histórico para o time, o Qatar e para mim pessoalmente. É incrível poder disputar a final do Mundial. Merecemos estar na decisão - declarou o atleta.

QUEM É:

NOME: Bertrand Roiné
NASCIMENTO: 17 de fevereiro de 1981, em Sainte-Gemmes-d'Andigné (FRA)
PESO E ALTURA: 99kg e 1,98m
PELA FRANÇA: Campeão mundial em 2011
PELO QATAR: Naturalizado em 2013, está na decisão do Mundial de 2015. Decidiu defender a seleção após convite do técnico Valero Rivera
CLUBE ATUAL: Após passar toda a carreira em equipes da França, defende agora o Lakhwiya Doha

*Os repórteres viajam a convite da organização do Mundial