icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
12/02/2015
09:23

Conquistar um Grand Slam é o topo da carreira de qualquer tenista e, para o italiano Fabio Fognini (26º), esse objetivo foi alcançado em janeiro. Jogando nas duplas com seu compatriota Simone Bolelli, ele conquistou o Aberto da Austrália. Agora, quer manter a boa fase no alto.

- (Estou em) Um momento muito bom. Sobretudo por ter ganho um Grand Slam. Tive muita dificuldade em simples, por sorte acabamos de começar o ano, então terei muitas partidas para melhorar meu nível de jogo. Agora estou aqui, com muita vontade. Quero jogar bem - comentou o tenista.

Na chave de duplas no Aberto do Brasil, porém, Fognini não teve uma boa estreia. Atuando com o espanhol Nicolás Almagro ele caiu diante do brasileiro Marcelo Melo e o austríaco Julian Knowle. Nesta quinta-feira, encara o argentino Diego Schwartzman pela chave de simples.

- Em uma parte, claro, gostaria de melhorar meu ranking. Estou fazendo coisas novas que requerem um certo tempo de espera. Quando você tenta mudar algo, há sempre um tempo. Estou trabalhando bem em simples, mas está demorando um pouco. É difícil dizer onde posso chegar. Mas não é uma obssessão subir no ranking apenas - afirmou Fognini.

Em São Paulo para a disputa de um dos maiores torneios da América do Sul, Fognini não acredita que terá tempo para visitar a cidade, graças à agenda cheia durante a semana. Porém, disputará o Aberto do Rio de Janeiro logo na semana de Carnaval. Indícios de uma folga? Quem sabe.

- Aqui em São Paulo estive pouco tempo, cheguei só no domingo e essa semana é complicada. No Rio de Janeiro será incrível, não irei ao Carnaval, mas gostaria de ver como acontecem as coisas. É algo mundial. Vim aqui com meu pai na época do Carnaval e acho lindo. Mas espero estar concentrado e não ter tempo para ir à festa - disse.

Se Fognini não estará tão disponível durante a semana do Carnaval, ao menos ele já mira um retorno à Cidade Maravilhosa. Em 2016, a cidade receberá a Olimpíada, que contará com os 50 melhores tenistas do ranking. Hoje, o italiano estaria na lista.

- Espero, com certeza (jogar na Rio-2016)! Joguei em Londres-2012 e perdi para (Novak) Djokovic na primeira rodada. Na anterior machuquei o pulso e não pude ir. É algo diferente. Aqui no Rio de Janeiro. Gostaria muito de jogar aqui. O Rio de Janeiro é uma cidade linda, muito conhecida. Mas ainda falta muito tempo para os Jogos Olímpicos - finalizou.