icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
28/11/2014
13:27

Depois de falhas de comunicação e vazamento de imagens, finalmente a camisa comemorativa de Rogério Ceni foi lançada. Na manhã desta sexta-feira, São Paulo e Penalty preparam coletiva de apresentação do uniforme especial, criado a princípio para o adeus do goleiro-artilheiro, e não tiveram como escapar das perguntas sobre os erros da fornecedora. A situação, em alguns momentos, foi constrangedora. Pouco depois, o presidente Carlos Miguel Aidar anunciou a renovação de contrato do ídolo até 5 de agosto de 2015.

- Como representante da Penalty, venho comunicar um pedido de desculpas pela falha no convite, mencionando a despedida do atleta. Cabe apenas a ele essa decisão. Nos desculpamos com o clube e o Rogério em todos meios digitais e imprensa, mas o melhor caminho para começar é pedir desculpa a todos: torcida, São paulo e atleta - afirmou Rafael Gouvêa, diretor de marketing da Penalty.

O representante da marca ainda vestiu a camisa e brincou com o mascote do clube, trajado com o fardamento completo. A cor é definida como petróleo pela fabricante e o conjunto será completo por calção e meiões brancos ou chumbos. Um vídeo narrado e protagonizado por Ceni foi exibido nos telões da sala de imprensa do CT da Barra Funda. A primeira aparição de Ceni com o uniforme será domingo, às 17h, contra o Figueirense no Morumbi. Já nesta sexta, o produto começará a ser entregue para os aderidos à pré-venda e ficará disponível em lojas físicas.

O São Paulo foi representado no encontro pelo vice-presidente de comunicação e marketing, Julio Casares. O dirigente foi obrigado a responder questões sobre a possibilidade de rescisão com a Penalty, que tem contrato até dezembro de 2015, até sobre a postura do presidente Aidar de vestir um agasalho da Reebok, antiga fornecedora do clube, no dia em que a crise com a atual parceria teve início.

- O São Paulo reafirma que vai cumprir o contrato e buscar maneiras para que fatos como esse não se repitam. O São Paulo cumpre o contrato até o final, a não ser que haja nova intercorrência. Muito se lê sobre novas empresas (a Under Armour está perto de um acerto), muitas querem suceder a Penalty. Sobre o Aidar, vi a cena na TV... Não podemos dizer que foi engano. Foi um clima tenso. O Aidar é inteligente, não usaria sem querer, mas foi no auge do desentendimento. No dia seguinte a questão estava mais amena e não duvido que domingo o Aidar usará a camisa - declarou Casares.