icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
27/04/2014
08:08

Os jogadores do Palmeiras - ou pelo menos a grande maioria deles - não têm notícias de Alan Kardec desde quinta-feira, quando o atacante abandonou um treino pela metade alegando uma crise de gastrite. Ele nem foi à Academia de Futebol no dia seguinte, na última atividade antes do confronto com o Fluminense, e não se concentrou com os colegas.

Atletas ouvidos pelo LANCE!Net dizem que o goleador não entrou em contato nos últimos dias, e asseguram que só sabem da negociação via imprensa. Por outro lado, ele tem mantido contato frequente com o volante Souza, do São Paulo, seu amigo de longa data e ex-companheiro no Vasco.

A última impressão deixada do lado alviverde do muro não foi tão boa: os colegas se depararam com um Kardec menos sorridente do que o normal, que transparecia nervosismo e estava menos comunicativo. De acordo com seu pai e procurador, que também se chama Alan Kardec, esse foi o motivo da gastrite.

- Ele está melhorando, mas estava muito nervoso, incomodado. Essa negociação já se arrastou mais do que deveria. São exatos dois meses e seis dias desde que começamos a conversar - disse, ao L!Net.

Neste período de "sumiço", Alan Kardec e seus representantes finalizaram as conversas com o São Paulo: aceitaram a proposta salarial do clube do Morumbi e se comprometeram a assinar contrato. O novo presidente do Tricolor, Carlos Miguel Aidar, até já confirmou a contratação, embora tenha voltado atrás logo na sequência.

Se a iminente transação se confirmar, é muito improvável que o jogador volte a trabalhar no Verdão, embora tenha contrato vigente até 30 de junho. A tendência é que o vínculo de empréstimo seja rescindido pelo Benfica (POR), dono dos direitos econômicos do atleta, que receberá 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões) para vendê-lo ao São Paulo.