icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
13/11/2014
16:35

Em grande fase no UFC, Caio Magalhães precisou de apenas um minuto e 15 segundos (somados) para nocautear seus dois últimos adversários na organização. Com um cartel de nove vitórias e apenas uma derrota, o atleta da Nova União vem de quatro triunfos consecutivos. Mas se engana que o lutador pensa em enfrentar um top 10 em seu próximo desafio. Após o UFC de Uberlândia, onde nocauteou Trevor Smith, o lutador falou com a imprensa sobre seu futuro e disse não estar preparado para o topo ainda.

- Não tem adversário que eu escolha. Meu trabalho é esse, lutar. Não sei. Acho que é muito cedo para isso (enfrentar um top 10). Estou crescendo na organização. Mas podem botar quem quiser. São dois nocautes seguidos. Agora o cara vem lutar comigo pensando duas vezes, achando que vou querer fazer jiu-jitsu com ele - comemorou o lutador.

Caio ainda avaliou a polêmica em torno dos golpes que desferiu contra o rival ao final do combate. Muitos torcedores o acusaram de ter batido na nuca do rival, algo proibido na regra, mas ele afirma que, mesmo que não tenha visto o replay, isso não mudaria o resultado.

- Não, não percebi (os golpes na nuca). O treinador do Trevor me falou também que achou que dei um soco na nuca dele, mas na hora não percebi, sinceramente. Mas ele levou aquele cruzado e aquela joelhada e já estava entregue. Ali foi só para finalizar a luta. Mas não percebi, não. Se ele quiser subir lá em cima para lutar de novo a gente sobe lá em cima e resolve (risos) - finalizou.