icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
03/07/2014
13:35

Capitão do pentacampeonato do Brasil em 2002, o ex-lateral-direito Cafu entende o choro dos jogadores da Seleção nos jogos da Copa, mas acredita que o Mundial não tem espaço para lágrimas a essa altura do campeonato.

- Tem que parar de chorar, só isso - disse Cafu, nesta quinta-feira, após participar do encontro diário da Fifa com os jornalistas, no Maracanã.

Apesar de defender o fim do choro na Seleção, Cafu preferiu não crucificar Thiago Silva, por não exercer um papel motivador na disputa de pênaltis do Brasil contra o Chile.

- É uma maneira dele se concentrar, refletir sobre tudo o que estava acontecendo. Não podemos criticar o Thiago Silva pelo posicionamento. O grupo tem que ter respeito em relação à posição dele - afirmou, ainda acrescentando:

- O choro é natural, um se emociona de uma maneira outro de outra. Alguns conseguem conter, outros não.

Lágrimas à parte, Cafu defende uma mudança de postura dentro de campo.

- O Brasil não tem que temer adversário nenhum. Tem que ir para cima, impor ritmo de jogo, acreditar que pode vencer. Tem mais gente torcendo a favor do que contra. Mas precisamos jogar, arrumar o time - disse o ex-capitão.