icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
09/06/2014
10:06

Caçulas dos grupos que foram aos Mundiais de 94 e 2002 e campeões do mundo, Ronaldo e Kaká, respectivamente, tiveram uma guinada na carreira posteriormente e iniciaram a trajetória rumo ao futebol europeu. O mais novo entre os convocados para 2014 já atua no exterior e descarta o rótulo de amuleto.

Bernard sabe muito bem o que aconteceu com os dois jogadores posteriormente e, apesar de admirá-los, quer trilhar o próprio caminho, independentemente do rumo da Seleção na Copa.


- Não acredito em sorte. Se vou seguir ou não ( o caminho de Ronaldo e Kaká), não sei. Espero conseguir esse objetivo e ganhar. Se vou construir uma história vitoriosa não sei, mas irei me esforçar para deixar meu nome na história do futebol - comentou.

À vontade no grupo, Bernard diz não estar pressionado, respeitando as escolhas de Felipão em relação à definição de quem jogará.

- Quero curtir esse momento, mas sabendo do peso e da responsabilidade que temos aqui - avisou.

A convivência com o grupo campeão da Copa das Confederações no ano passado serviu não só para dar maturidade a Bernard, como também para deixá-lo mais próximo dos companheiros.

- Antes era um pouco novidade. Tinha o nervosismo de não saber como chegar e cumprimentar. Era o mais novo. Agora já estou bem adaptado. Essa tranquildade permitiu poder mostrar meu futebol e colocar em campo. Hoje estou mais maduro, centrado e tranquilo - garantiu o meia-atacante.