icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
23/04/2014
20:30

De um lado, um contêiner para reciclagem de vidro; do outro, cacos e mais cacos de garrafas e canecas quebradas, espalhadas pelo chão. Antes mesmo do jogo, as ruas próximas ao estádio Santiago Bernabéu estavam com muitos cacos de vidro espalhados. Um risco, já que uma multidão se aglomerava por toda parte, inclusive com crianças.

O mau hábito de quebrar garrafas e deixar os cacos no chão tem sido um ponto negativo dos torcedores na festa, sempre que há grandes jogos na Europa. E olha que, bem perto do estádio, existe um contêiner especificamente instalado para o despejo de vidro. Uma dupla utilidade: aumenta a segurança de quem anda nas ruas e permite a reciclagem do material. Mas muitos nem se dão conta do equipamento. E outros não dão o devido valor.

Duas horas antes da partida, o gari José se preparava para catar o lixo. O trabalho teria que ser feito rapidamente durante e depois da partida, segundo ele, para diminuir o risco de alguém se ferir. José podia ser visto conversando com torcedores, comentando sobre a necessidade de não jogar cacos de vidro nas ruas. Mas, como ele mesmo disse, essa tarefa é árdua e permanente. Nas próximas partidas, tudo se repetirá...