icons.title signature.placeholder RADAR/RNL - O Liberal (PA)
17/02/2015
13:32

* À procura de Caça-Rato

Até o final do treinamento de segunda-feira, o elenco do Clube do Remo treinava com um jogador a menos. Liberado para passar o domingo de Carnaval em Recife (PE), por causa do aniversário do filho, o atacante Flávio Caça-Rato não chegou a Belém na manhã de ontem (segunda-feira), como havia sido combinado. Procurada pela reportagem, a diretoria de futebol azulina respondeu, através da assessoria de imprensa, que só iria comentar o caso quando Caça-Rato aparecer. Se aparecer.

Sem treinar, Caça-Rato - que é uma verdadeira celebridade em Recife, sendo homenageado como um dos famosos bonecos gigantes do carnaval de Olinda - pode perder a vaga que está aberta no ataque. O posto está sendo disputado entre ele e Rafael Paty.

Paty evitou comentar a ausência do companheiro de ataque, mas se colocou à disposição para jogar, caso seja escalado.

- Independente de quem for jogar, isso fica a critério do Zé Teodoro. Mas ele sabe que pode contar comigo - comentou o atacante, que treinou ontem e sai na frente para ficar com a camisa nove.

Caça-Rato só veio a ser titular no último dos três jogos do Remo esse ano, na vitória de 2 a 1 sobre o Rio Branco-AC, pela Copa Verde. Nas duas partidas anteriores, pelo Parazão, ele chegou a entrar no segundo tempo. Mesmo longe do melhor condicionamento físico, ainda assim foi elogiado pela entrega em campo. Mas, por ter se apresentado no início do ano muito acima do peso, ele vem sendo alvo de um trabalho diferenciado para corresponder a contratação.

No primeiro esboço de time montado ontem por Zé Teodoro, a formação teve: Camilo no gol; George Lucas, Ciro Sena, Max e Alex Ruan na defesa; Alberto, Dadá, Bismark e Eduardo Ramos no meio-de-campo; Rony e Paty no ataque.

Rafael Paty ressaltou a força do elenco e os resultados negativos no Parazão.

- É importante ter um grupo forte para não se acomodar. Eu sou assim. Se as coisas não estão bem, a gente tem que treinar mais ainda. Precisamos trabalhar e dar nosso máximo. Tivemos um começo muito ruim e precisamos da recuperação.

O camisa nove salientou que a necessidade de fazer gols fez com que os treinos de finalizações fossem intensificados nos últimos dias. Inclusive com ele.

- Treinamos até mais finalizações agora. Mas precisamos melhorar em todos os aspectos. Deixamos a desejar nos dois primeiros jogos. Melhoramos contra o Rio Branco, mas a pauta agora é o Campeonato Paraense - disse.

- Contra o Rio Branco, joguei meia hora e tive mais oportunidade que nos dois jogos anteriores. Isso passou e tenho que estar bem condicionado para quando as chances voltarem a aparecer - completou o centroavante.

* O Liberal