icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
10/12/2013
13:46

A diretoria do Santos tenta trabalhar em sigilo na montagem do elenco para 2014. Dirigentes procuram não dar entrevistas e o único a se pronunciar é Zinho, gerente de futebol, que evita dar detalhes de negociações em suas falas. No entanto, diversas informações têm sido veiculadas pela imprensa, o que gera irritação na cúpula do futebol alvinegro e fez os cartolas iniciarem uma caça aos "vazadores".

Além de tentarem adivinhar os "alcaguetes", os dirigentes adotaram uma medida mais drástica: passaram a dar informações erradas a funcionários do clube e a outros suspeitos. Assim, quando uma mentira é publicada na mídia, a isca é mordida. Um dos delatores já foi descoberto.

O superintendente de esportes André Zanotta e o presidente em exercício Odílio Rodrigues, além de Zinho, desconfiam também de alguns membros do Comitê de Gestão. No entanto, a única providência adotada foi pedir para os dirigentes não darem entrevistas nem passarem informações confidenciais a amigos e pessoas próximas.

Em meio a isso, o Santos segue atrás de um acerto com o técnico Oswaldo de Oliveira, que pode ser anunciado nos próximos dias, e da contratação de reforços. O atacante Vargas é quem está mais próximo. Ele não permanecerá no Grêmio, e o Peixe tem negociações adiantadas com o Napoli, clube italiano que detém os direitos econômicos do chileno e está disposto a emprestá-lo.

O atacante Leandro Damião, do Internacional, e o meia Diego, do Wolfsburg (ALE), são outros alvos da direção alvinegra.