icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/03/2014
14:29

Uma dupla de dois ex-pilotos da Fórmula 1 vai figurar na primeira etapa da Stock Car de 2014, em Interlagos, no dia 23 deste mês. Bruno Senna será companheiro de Antonio Pizzonia no carro número 1 da Prati-Mico's Racing.

Bruno, porém, não correrá o campeonato inteiro da Stock Car, apesar de ter recebido propostas. O piloto brasileiro ainda anunciará em qual categoria participará de forma integral em 2014, mas certo, por enquanto, é que ele disputará duas corridas do Mundial de Endurance pela Aston Martin, uma delas as 24 Horas de Le Mans.

- Sempre disse que a Stock Car era uma possibilidade, dependendo da proposta. E a que recebi da Prati-Mico's Racing me agradou em todos os aspectos. Vou correr por uma equipe em evolução, que fez a pole em São Paulo no ano passado e tem a ambição de crescer cada vez mais. E ter como parceiro um piloto com a qualidade e a experiência do Pizzonia também pesou na minha decisão - disse Bruno.

Bruno Senna correu pelas equipes Hispania, Lotus e Williams na Fórmula 1, entre 2010 e 2012. Em 2013, o subrinho de Ayrton disputou o Mundial de Endurance, pela Aston Martin na divisão GTE-Pro. Pizzonia, por sua vez, correu na F-1 entre 2003 e 2005, por Jaguar e Williams.

Após disputar o Mundial de Endurance em 2013, pela equipe ADR-Delta na divisão LMP2, disputará a Stock Car em 2014 pela Prati-Mico's e terá Julio Campos como parceiro de equipe. Vale lembrar que somente a etapa inicial do campeonato é disputada em dupla e Julio correrá com Fábio Carbone.

Antonio Pizzonia correrá na Stock Car em 2014 (Foto: Vanderley Soares/MF2)

Entretanto, o rodízio de pilotos que ocorrerá na etapa de abertura da Stock Car não é novidade para Bruno Senna. Isso também ocorre no Mundial de Endurance, em que conquistou três vitórias, dois segundos lugares e quatro poles no ano passado. A única ressalva feita por ele é a de que "o banco da Stock Car é diferente da do Endurance".

Já Pizzonia admite que a experiência de Senna em provas de revezamento pode fazer a diferença. O amazonense, porém, também tem experiência neste tipo de prova, por também ter competido no endurance ano passado:

- Não será exatamente uma prova longa como aquelas que ele fez de endurance, mas o conhecimento do procedimento da troca de pilotos conta bastante nessa hora, já que o risco de perda de tempo diminui. Fico feliz também por ele ter aceitado o convite para dividir o carro comigo - disse Pizzonia.