icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
20/11/2014
14:53

O que a teoria sugeria, Bruno Senna começou a descobrir na prática. Depois de percorrer parte do circuito de rua de Putrajaya nesta quinta-feira, o piloto da Mahindra Racing elogiou o traçado da Malásia que receberá neste sábado a segunda etapa da Fórmula E, o campeonato mundial de carros elétricos da FIA, mas ressalvou os riscos que apresenta.

- A pista parece bem legal. O problema é que é bem fácil de acertar os muros – comentou o piloto da Mahindra Racing.

Uma das marcas registradas da nova categoria, toda a estrutura será montada no dia dos treinos livres, classificatórios e da corrida, de modo a provocar o mínimo de incômodo à cidade. Fundada em 1995 e localizada a 70 km ao sul de Kuala Lumpur, Putrajaya é a capital mais nova do mundo. Bruno chegou na quarta-feira e gostou do pouco que viu até agora.

A prova deste sábado começará às 4h (horário de Brasília). É a chance de Bruno se recuperar após a frustrante estreia de dois meses atrás na China, onde enfrentou problemas - perdeu o qualifying por causa de uma pane elétrica, largou em último e abandonou na primeira volta com a suspensão dianteira quebrada. Como o regulamento prevê o descarte de um resultado, é como se o campeonato estivesse sendo aberto agora para Bruno.

- Menos mal que posso eliminar essa etapa, mas tínhamos potencial de brigar pela vitória - disse o brasileiro, o mais rápido da segunda sessão de ensaios.

Os organizadores anteciparam a programação em relação à abertura do calendário na China, preocupados com a possibilidade das chuvas fortes que regularmente castigam a região no período da tarde nesta época do ano. No molhado ou no seco, no entanto, Bruno alimenta expectativa otimista, mas chama a atenção também para características particulares da Malásia que preocupam a todos na Fórmula E.

- O calor e a umidade elevada são pontos ainda um pouco desconhecidos para estes carros – finalizou Bruno.