icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Fellipe Lucena e Thiago Ferri
26/07/2014
08:04

Bruno César ou Felipe Menezes? Seis meses atrás, quando o Chuta-Chuta foi contratado, a esperançosa torcida do Palmeiras não hesitaria em escolhê-lo. Hoje, as preferências são bem diferentes, sobretudo as de Ricardo Gareca depois de três partidas pelo Verdão e às vésperas do primeiro clássico contra o Corinthians, neste domingo, na arena de Itaquera.

Felipe Menezes participou de todos os gols da equipe sob o comando do técnico argentino. Fez os dois da vitória sobre o Avaí em Florianópolis (SC), na quarta-feira, e havia cruzado para Tobio descontar a vantagem do Cruzeiro para 2 a 1, no fim de semana, no Pacaembu.

– É um jogador muito importante para nós e quero que ele siga evoluindo. Todos temos que seguir progredindo – declarou El Flaco.

Na contramão, Bruno César segue sem engrenar no Palestra Itália transcorrida metade da temporada. E, se for relacionado para o Dérbi, reencontrará o seu ex-clube com status de reserva do reserva no lado alviverde do clássico.

Antes favorito a assumir a vaga de Valdivia, o ex-corintiano não empolgou Gareca e está atrás de Felipe e Mendieta na fila de meias. O meia canhoto iniciou a era do treinador como titular na derrota para o Santos, mas nos jogos seguintes já virou reserva – entrou no segundo tempo em Santa Catarina após ficar sentado entre os suplentes no revés para a Raposa.

Bruno César já poderia ter reencontrado o clube que defendeu entre 2010 e 2011, sem conquista de títulos, mas não conseguiu se condicionar fisicamente para estrear contra o rival, no Paulista. Disputou o jogo seguinte e, desde então, soma 13 apresentações, duas bolas na rede e um passe para gol.

Quase sempre preterido por Gilson Kleina no ano, a ponto de ter ficado 11 duelos sem atuar no Estadual, Felipe Menezes acumula 11 jogos, três gols, uma assistência e largou na frente com Gareca.

Bruno César e Felipe Menezes durante a vitória sobre o Avaí, na quarta