icons.title signature.placeholder João Pedro Marins
17/04/2014
16:26

Com um cartel de 16 vitórias e apenas uma derrota, Travis Browne vive grande fase no Ultimate, com três vitórias consecutivas por nocaute. Neste sábado, o havaiano encara Fabricio Werdum em evento do UFC em Orlando para conquistar a chance de disputar o cinturão dos pesados contra Cain Velásquez, atual dono do título. Apontado como a maior esperança de renovação da categoria, já que o atual campeão enfrentou apenas dois adversários diferentes nas últimas cinco lutas, o havaiano terá de passar pelo brasileiro para se consolidar como maior ameaça da divisão e ter sua chance à glória.

Em entrevista ao LANCE!Net, Browne analisou a luta principal do show de Orlando e apontou as qualidade de Werdum. O americano admite que pretende ficar bem longe do jogo afiado de jiu-jitsu do brasileiro.

- Minhas armas são a minha condição atlética e minha resistência. Sinto-me confiante com minhas habilidades. Obviamente, gostaria de ficar longe do jiu-jitsu dele. Ele tem ótimas finalizações e chaves de braço. Porém, você não pode lutar se preocupando com essas coisas. Quero manter a luta na trocação, mas estou preparado para lutar em qualquer lugar. Se for para o chão, vamos lá - revelou, em conversa por telefone com o L!Net.

Ao ser perguntado sobre a estratégia para o duelo, o americano explicou que não costuma premeditar suas ações no octógono. Travis fez questão de se definir como um atleta "completo".

- Não gosto de fazer muitos planos. Meu estilo é mais ir para luta e ver o que vai acontecer. Vou lutar para frente e tentar nocauteá-lo, mas tenho outras armas também. Sou mais do que só um nocauteador, sou um atleta completo - declarou.

Browne nocauteou Josh Barnett no UFC 168, em dezembro (FOTO: Divulgação/UFC)

Confira um bate-bola com Travis Browne
Você acredita que a luta irá durar cinco rounds?
Treinei para 25 minutos. Se tivermos que lutar os cinco rounds, estou pronto. Treinei bastante e estou preparado fisicamente para isso.

As cotoveladas usadas para nocautear Napão e Barnett são algo que você pretende repetir nessa luta?
Simplesmente aconteceu (de dar as cotoveladas). Eles foram tentar me derrubar e para evitar acabei acertando essas cotoveladas. Não é algo que costumo treinar, é difícil você praticar isso, porque pode acabar machucando algum parceiro de treino.

Você é companheiro de treinos de Jon Jones. Qual seu palpite para a luta dele contra o Glover?
Jones é um ótimo atleta, acho que vai ser uma grande luta contra Glover Teixeira. Eu treino com Jon Jones e aposto em sua vitória neste confronto. Mas não sei como.

Você gostaria de lutar no Brasil algum dia?
Adoraria lutar no Brasil, é um ótimo país. Teria que fazer uma viagem maior para atuar lá, mas com certeza seria uma ótima experiência.