icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
28/02/2015
16:24

O Brasil garantiu antecipadamente o título do ‘Desafio Melhores do Mundo: Brasil x EUA’ neste sábado, na arena montada na Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro nos dois jogos realizados, ambos pela disputa do bronze: Bruno Schmidt/Thiago (DF/SC) venceu Patterson/Gibb por 2 sets a 0 (21/8, 21/17) e Ágatha/Bárbara Seixas acabou superada por Walsh/Ross por 2 sets a 1 (21/18, 16/21, 7/15). Com os resultados do sábado, o Brasil foi aos 25 pontos, contra 13 dos norte-americanos, e não pode mais ser alcançado no placar geral.

Os jogos continuam neste domingo com transmissão ao vivo do canal SporTV e entrada franca à torcida. Na final masculina, Pedro Solberg/Evandro (RJ) encara Hyden/Bourne em busca do ouro, a partir das 12h. Na sequência, Larissa/Talita (PA/AL) enfrenta Fopma/Sweat na decisão do torneio feminino.

Escalado às vésperas do evento por conta de uma apendicite de Alison, parceiro de Bruno Schmidt, Thiago comemorou a medalha que garantiu a conquista do desafio ao Brasil.

- É muito prazeroso representar o Brasil num nível tão alto, quase um aquecimento olímpico. Não sei nem explicar direito a alegria que estou sentindo. Estava fora de torneios mundiais há dois anos e poder subir ao pódio é incrível, ainda mais com tantos jogadores de qualidade. Tenho que agradecer ao Bruno e sua comissão técnica pela confiança. Não estava escalado e ele confiou em mim após o problema de apendicite do Alison. É ótimo sair daqui com uma medalha, explicou Thiago, campeão da etapa de São José (SC) do Circuito Brasileiro 14/15.

- Se tratando de um desafio, qualquer jogo é importante. Queríamos esticar o torneio, disputar o máximo de partidas, e conseguimos. Conseguimos o bronze em cima de uma dupla que vem muito bem no Circuito Mundial, que em 2014 só ficou atrás do Dalhausser e do Rosenthal, entre os americanos. Conseguimos trazer a torcida, utilizar o vento forte ao nosso favor e fizemos uma partida sólida. Saio ainda mais feliz por termos garantido esse título ao nosso país, eu e Thiago nos esforçamos ao máximo, não somos um time, mas ele me ajudou muito, sacou demais, e também fiz tudo para ajuda-lo. Deu certo, completou Bruno Schmidt.

O jogo
A partida começou equilibrada, com os times mantendo a virada de bola, até que, em dois aces seguidos de Bruno Schmidt, os brasileiros abriram 5 a 2 no placar e praticamente desequilibraram os adversários. Mantendo mais regularidade no ataque, Bruno/Thiago aumentou a diferença e fez 10 a 5 em outro ace, desta vez de Thiago. Sem conseguir reação, sofrendo com os bons saques, Patterson e Gibb não conseguiam sair do quinto ponto.

Explorando bloqueio de Patterson, Thiago fez o 19º ponto brasileiro e deixou a vitória mais próxima. Os norte-americanos ainda conseguiram mover o placar e reduziram um pouco a desvantagem, mas em ponto de saque de Thiago, a grande arma do time verde e amarelo no set inicial, a equipe da casa fechou em 21 a 8 o primeiro set.

O segundo set começou com os norte-americanos na frente do placar. Em toque na rede de Thiago, a vantagem de Patterson/Gibb subiu para 6 a 3. Os saques brasileiros, porém, voltaram a fazer a diferença. Thiago acertou ace e, em seguida, um ponto de ataque um erro dos norte-americanos deu a liderança no placar aos brasileiros: 7 a 6.

Os times passaram a trocar a frente do placar. Em erro de ataque de Patterson, o Brasil fez 15 a 12. Em largadinha na diagonal, Bruno anotou o 19 ponto e deixou o bronze próximo. A vitória veio em explorada de Bruno Schmidt sobre o bloqueio de Gibb, fechando o set em 21 a 17, e o jogo em 2 sets a 0.

Walsh e Ross vão ao pódio

Últimas adversárias de Ágatha/Bárbara Seixas na primeira fase, a tricampeã olímpica Walsh e a medalhista olímpica Ross cruzaram mais uma vez o caminho das brasileiras. Mas desta vez quem se deu melhor foi a equipe dos EUA. A paranaense e a carioca começaram bem, venceram o primeiro set, mas tiveram dificuldades na virada de bola no segundo set e no tie-break. Apesar do revés, Bárbara elogiou a torcida e a participação do time no torneio.

- Queria agradecer não só os amigos e família, mas toda essa galera maravilhosa que compareceu em peso. A gente sabe que a rivalidade é muito grande, as duplas são muito boas e poder participar deste desafio, mostrar nosso voleibol para as duplas dos EUA é demais. Obrigado pela força e energia que vocês passaram, agradeceu Bárbara.

- No primeiro set conseguimos fazer o que deveríamos ter feito durante o jogo todo. Virar nossas bolas. Se você não conseguir isso com uma dupla de alto nível, fica muito mais difícil. Do outro lado tem um time que faz a parte deles muito bem, basicamente a virada de bola foi o diferencial para a vitória delas, analisou Ágatha.

Após o bronze, Walsh comentou a dificuldade para se adaptar ao forte vento e também elogiou o desempenho da sua equipe, já que este foi o primeiro torneio dos norte-americanos na temporada.

- Os brasileiros são os melhores jogando com um vento forte, como o de hoje, pela grande habilidade que eles têm no controle de bola. Tivemos mais dificuldades no primeiro set, mas fizemos alguns ajustes, voltamos mais agressivas nos outros sets e melhoramos. Ter a oportunidade de jogar em Copacabana, local da próxima Olimpíada, e sentir o vento, o clima, é excelente. Esse lugar é maravilhoso e gostaríamos de poder jogar mais vezes aqui, analisou Walsh, que comentou o início de temporada.

- É um pouco prematuro para analisar, ainda estamos no começo de temporada, não estamos na melhor forma física. Mas estou muito orgulhosa de ter encerrado a participação com vitória. Tivemos jogos duros, com bastante calor, mas poder terminar no pódio é algo que me deixa muito feliz e agradeço ao meu time e minha parceira por isso, completou.


VEJA OS RESULTADOS DE SÁBADO


Bruno Schmidt/Thiago 2 x 0 Patterson/Gibb (21/8, 21/17)
Ágatha/Bárbara Seixas 1 x 2 Walsh/Ross (21/18, 16/21, 7/15)