icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/07/2013
01:11

Na segunda luta principal do UFC 162, que aconteceu neste sábado, em Las Vegas, Charles Oliveira e Frank Edgar fizeram um combate eletrizante. O duelo entre o ex-campeão dos leves e o paulista foi uma das melhores lutas do ano. Sem se intimidar com a experiência do oponente, Do Bronx foi aguerrido e encarou de frente seu desafio, mas acabou sendo derrotado na decisão unânime dos juízes. Edgar provou mais uma vezes os motivos que o tornam um dos atletas mais resistentes da franquia.

- Não luto três rounds. Estou acostumado a lutas de cinco rounds (risos). Charles é duro. Achei que tivesse machudo ele, mas ele é um dos caras mais duros que já enfrentei. Acertei golpes duros. Venho treinando muito boxe na academia. Sabia que voltaria em algum momento depois das derrotas - declarou o ex-campeão dos leves, em entrevista ainda no octógono.

Frank se recuperou de uma sequência negativa de três derrotas seguidas. Já o brasileiro, somou seu segundo revés coonsecutivo. Mas, nada que ponha seu emprego no UFC em risco, já que o combate foi eletrizante e provavelmente agradou o patrão Dana White.

A LUTA
1º round
O combate começou de forma eletrizante. Frank abalou o brasileiro com o jogo de boxe, mas logo foi correspondido pelo brasileiro, que levou o combate para o chão, onde é especialista em jiu-jitsu. Inicialmente mais fraco na trocação, o paulista se recuperou e conseguiu acertar bons golpes no americano. Porém, Edgar mostrou a garra costumeira e equilibrou as ações. O round chegou ao fim com o ex-campeão na guarda do brasileiro no duelo de chão.

2º round
A segunda etapa continuou com o ritmo acelerado e o brasileiro chegou a acertar golpes contundentes em Edgar durante a trocação. As investidas em derrubadas não eram bem sucedidas, o que permitiu que o americano apostasse mais no jogo de boxe. Apesar da envergadura bem menor que a do brasileiro, Frank era mais rápido e acertava mais golpes. Charles terminou o round com uma guilhotina encaixada que só foi solta apenas ao soar do gongo, para a felicidade do ex-campeão que se viu diante da derrota.

3º round
O último assalto foi tudo ou nada. O brasileiro e o americano protagonizaram uma luta franca em um dos maiores momentos do UFC no ano. Os dois trocaram golpes fortes durante todo o round e os dois estiveram por diversas vezes perto de conquistarem a vitória por nocaute. Frank esbanjava garra no duelo e o brasileiro impressionava pela força. Charles abusava dos golpes de esquerda e das joelhadas, enquanto Edgar apostava no boxe rápido. O confronto acabou com Frank por cima de Charles, que se defendia no chão.

Confira abaixo os resultados completos do UFC 162:
Card principal
Tim Kennedy venceu Roger Gracie na decisão unânime dos juízes;
Mark Muñoz derrotou Tim Boescht na decisão unânime dos juízes;
Cub Swanson derrotou Dennis Siver por nocaute técnico no R3;
Card preliminar
Andrew Craig derrotou Chris Leben na decisão dividida dos juízes;
Norman Parke derrotou Kazuki Tokudome na decisão unânime dos juízes;
Gabriel Napão derrotou Dave Herman por nocaute técnico no R1;
Edson Barboza derrotou Rafaello Trator por nocaute técnico no R2.
Brian Melancon derrotou Seth Baczynski por nocaute no R2;
Mike Pierce derrotou David Mitchell por nocaute técnico no R2.

Na segunda luta principal do UFC 162, que aconteceu neste sábado, em Las Vegas, Charles Oliveira e Frank Edgar fizeram um combate eletrizante. O duelo entre o ex-campeão dos leves e o paulista foi uma das melhores lutas do ano. Sem se intimidar com a experiência do oponente, Do Bronx foi aguerrido e encarou de frente seu desafio, mas acabou sendo derrotado na decisão unânime dos juízes. Edgar provou mais uma vezes os motivos que o tornam um dos atletas mais resistentes da franquia.

- Não luto três rounds. Estou acostumado a lutas de cinco rounds (risos). Charles é duro. Achei que tivesse machudo ele, mas ele é um dos caras mais duros que já enfrentei. Acertei golpes duros. Venho treinando muito boxe na academia. Sabia que voltaria em algum momento depois das derrotas - declarou o ex-campeão dos leves, em entrevista ainda no octógono.

Frank se recuperou de uma sequência negativa de três derrotas seguidas. Já o brasileiro, somou seu segundo revés coonsecutivo. Mas, nada que ponha seu emprego no UFC em risco, já que o combate foi eletrizante e provavelmente agradou o patrão Dana White.

A LUTA
1º round
O combate começou de forma eletrizante. Frank abalou o brasileiro com o jogo de boxe, mas logo foi correspondido pelo brasileiro, que levou o combate para o chão, onde é especialista em jiu-jitsu. Inicialmente mais fraco na trocação, o paulista se recuperou e conseguiu acertar bons golpes no americano. Porém, Edgar mostrou a garra costumeira e equilibrou as ações. O round chegou ao fim com o ex-campeão na guarda do brasileiro no duelo de chão.

2º round
A segunda etapa continuou com o ritmo acelerado e o brasileiro chegou a acertar golpes contundentes em Edgar durante a trocação. As investidas em derrubadas não eram bem sucedidas, o que permitiu que o americano apostasse mais no jogo de boxe. Apesar da envergadura bem menor que a do brasileiro, Frank era mais rápido e acertava mais golpes. Charles terminou o round com uma guilhotina encaixada que só foi solta apenas ao soar do gongo, para a felicidade do ex-campeão que se viu diante da derrota.

3º round
O último assalto foi tudo ou nada. O brasileiro e o americano protagonizaram uma luta franca em um dos maiores momentos do UFC no ano. Os dois trocaram golpes fortes durante todo o round e os dois estiveram por diversas vezes perto de conquistarem a vitória por nocaute. Frank esbanjava garra no duelo e o brasileiro impressionava pela força. Charles abusava dos golpes de esquerda e das joelhadas, enquanto Edgar apostava no boxe rápido. O confronto acabou com Frank por cima de Charles, que se defendia no chão.

Confira abaixo os resultados completos do UFC 162:
Card principal
Tim Kennedy venceu Roger Gracie na decisão unânime dos juízes;
Mark Muñoz derrotou Tim Boescht na decisão unânime dos juízes;
Cub Swanson derrotou Dennis Siver por nocaute técnico no R3;
Card preliminar
Andrew Craig derrotou Chris Leben na decisão dividida dos juízes;
Norman Parke derrotou Kazuki Tokudome na decisão unânime dos juízes;
Gabriel Napão derrotou Dave Herman por nocaute técnico no R1;
Edson Barboza derrotou Rafaello Trator por nocaute técnico no R2.
Brian Melancon derrotou Seth Baczynski por nocaute no R2;
Mike Pierce derrotou David Mitchell por nocaute técnico no R2.