icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Russel Dias
12/11/2014
13:29

As eleições para a presidência do Santos entram para a história antes mesmo de acontecer, devido ao número de candidatos. Ao todo, 33 pessoas presidiram o Peixe em 102 anos de história, mas nunca tantos quiseram a mesma vaga como neste ano. Desde 1945 todas as eleições tinham duas chapas concorrendo. Em 2014, a tendência é que cinco nomes disputem a presidência do clube para o triênio de 2015 até 2017.


Athié Jorge Coury, Marcelo Teixeira e Luis Alvaro Ribeiro (Foto: Arquivo LANCE!)

Com um cenário político disputado e com algumas discordâncias a briga pelo cargo máximo do Alvinegro promete ser tensa como foi em muitos outros anos, Confira algumas farpas em outros pleitos santistas.

1975 

A oposição da época, a chapa Olga Coury, chegou a reclamar que a eleição daquele ano foi perdida por apenas 18 votos e que esses foram de algumas pessoas associadas que votaram de forma irregular. No fim da disputa, os membros da oposição foram avaliar a apuração no antigo Restaurante Baleia, já os da situação, foram comemorar a vitória na residência do renomado empresário Carlos Caldeira.

1982

Após o presidente Rubens Quintas sei eleito um ano antes, decidiu renunciar ao cargo, dando lugar a Ernesto Vieira da Silva. A atitude gerou protesto por parte do então presidente do Conselho Deliberativo, Vicente Cascione. No dia 21 de junho, logo após Ernesto assumir, Cascione se demitiu por ser contrário a candidatura e prometeu que nunca mais voltaria a ser conselheiro do Santos. Como protesto, deixou a carteira de Conselheiro em cima da mesa do Conselho Deliberativo.

1999

Na disputa entre Marcelo Teixeira e José Paulo Fernandes, a votação foi adiada em 12 dias por ordens judiciais. O motivo foram as brigas que aconteceram no primeiro dia e tumultuaram a votação.

2009

Quando Marcelo Teixeira e Luis Alvaro Ribeiro conferiam a apuração da sexta urna, o Salão de Mármore da Vila Belmiro foi tomado por uma briga entre torcidas organizadas. Para conter o tumulto, sprays de pimenta foram utilizados, embora não houvesse a presença da Polícia Militar. Depois da confusão, a contagem dos votos prossegiu e Luis Alvaro venceu.

Curiosidades

O MAIS VITORIOSO

Athié Jorge Koury foi o presidente que mais ficou no cargo, de 1945 a 1971 sem interrupção, e também o que mais venceu títulos, incluindo as duas primeiras Libertadores e Mundiais. Além de dirigente, foi goleiro do próprio Santos na década de 30 e também político. Enquanto comandava o Peixe foi eleito vereador e deputado estadual. 

ELEIÇÃO COM MAIS VOTOS

Com 3.889 a eleição com mais votos na história do clube foi a última, em 2011, com a vitória de Luis Alvaro. Destes, 3.365 foram para o vencedor.

Veja os números de todas as eleições do Santos

03/12/2011
Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro da chapa Crescendo 100 parar teve 3.365 votos contra 503 de Reinaldo Guerreiro da oposição.
12 votos brancos contra 09 nulos.

05/12/2009
Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro da chapa O Santos pode mais teve 1882 votos contra 1129 de Marcelo Teixeira da chapa Rumo Certo.
01 voto branco e 12 nulos.

08/12/2007
Marcelo Teixeira da chapa Rumo Certo teve 1367 votos contra 617 votos dados a Paulo Schiff da chapa Santos Eterno.
14 votos nulos e 01 branco.

10/12/2005
Marcelo Teixeira da chapa Rumo Certo teve 1.335 votos contra 748 votos de Paulo Schiff da chapa Resgate Santista.
02 votos nulos.

06/12/2003
Marcelo Teixeira da chapa Rumo Certo teve 1525 contra 990 votos dados a Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro da chapa Resgate.
05 votos brancos e 06 votos nulo.

01/12/2001
Marcelo Teixeira da chapa Rumo Certo teve 1083 votos contra 871 votos dados a Fernando Silva da chapa Resgate.
05 votos brancos e 01 voto nulo.

12/12/1999 
Marcelo Teixeira – Novos Rumos 1288 votos - Oposição
José Paulo Fernandes – Tradição Alvinegra 852 – Situação
Brancos: 02 – Nulos: 04 votos.

14/01/1998 
Samir Abdul Kack – 186 conselheiros votos.
Antônio Aguiar Filho – 70 conselheiros votos.

12/01/1996
Eleição Simbólica no Conselho Deliberativo.
Samir Abdul Hack.

07/01/1994 – Eleição Simbólica no Conselho Deliberativo.
Miguel Kodja Neto.

29/11/1994 
Samir Abdul Hack toma posse depois que Miguel Kodja renunciou.

07/11/1992 
Marcelo Teixeira – Eleição simbólica no Conselho – chapa única.

08/01/1990 
Antônio Aguiar Filho – eleito com 1091 votos – Chapa União Alvinegra.
Miguel Assad Maccol Filho com 850 votos.

04/04/1988
Miguel Assad Maccol eleito com 144 votos – Chapa Renovação – votação só Conselho Deliberativo.
Luis de Souza Jr. teve 115 votos.

08/03/1988
Manuel dos Santos Sá renunciou. Entrou em seu lugar por dois meses Otávio Alves Adegas.

12/01/1987
Eleição só Conselho Deliberativo. Eleito Manuel dos Santos Sá com 172 votos.

13/01/1984
Eleição só no Conselho Deliberativo. Eleito Milton Teixeira com 192 votos.

21/06/1982
Assume Ernesto Vieira da Silva após renuncia de Rubens Quintas Ovalle.

1981
Rubens Quintas reeleito contra o Álvaro Bandarra.

17/03/1978
Rubens Quintas teve 1223 votos contra Milton Teixeira que teve 724 votos.

18/10/1975
Modesto Roma teve 705 votos contra.
687 votos dados a Oposição cuja chapa tinha o nome de Olga Coury.

12/01/1973
Vasco José Faé teve 347 votos – chapa única.

1971
Vasco José Faé teve 742 votos contra 537 votos dados a oposição comandada por Athié Jorge Coury.

1969
Athié Jorge Coury da situação teve 835 votos contra 130 votos também da chapa de situação.

1945 até 1967
Athié Jorge Coury na chapa única foi eleito por aclamação.