icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
15/11/2014
18:08

O Brasil está mais vivo do que nunca na briga pelo título do Red Bull Street Style, o mais importante campeonato internacional de futebol estilo livre. Nas classificatórias deste sábado, no Pelourinho, em Salvador, BA, o paraense Ricardo Araújo, o Ricardinho, e os paulistas Pedro Oliveira e Lucas Menezes, garantiram vaga na grande final, que acontece neste domingo, a partir das 14h30 (horário de Brasília), e reúne os dezesseis melhores atletas do mundo.

Pedrinho, que nasceu em São Paulo mas mora em Recife, venceu as suas quatro batalhas e avançou na primeira posição de seu grupo, que contava também com o austríaco Martins Schopf, o indiano Puneet Dhundhele, o moldávio Sergiu Cotofan e D’Low, de Cingapura. Agora, ele pega o italiano Gunther Celli nas oitavas-de-final.

- Já enfrentei ele por duas vezes e perdi as duas por 2 a 1. Mas desta vez eu estou em casa, estou super focado e aqui não vou ter medo de ninguém. Desde 2008, que eu quero participar da final desta competição e finalmente chegou a minha vez - comentou.

Já o caminho de Ricardinho para a final foi um pouco mais complicado. Depois de vencer Ardi, da Indonésia e Tobias Becs, da Noruega, o paraense perdeu para o egípcio Yorok e foi para a batalha contra o sueco Emil disposto a ir para o tudo ou nada. Após vencer por 3 a 0, ele garantiu a classificação e agora enfrenta o mexicano El Pantera.

- Estou confiante para a partida. Acho que dá para ganhar. Peguei um grupo muito difícil e, para me classificar para a final, tive que vencer o sueco Emil, que é um adversário super difícil. Isso me faz ir com muita confiança para a grande final no domingo - analisou Ricardinho.

Mas quem teve mesmo um caminho difícil para a final foi o paulista Lukinhas. Ele perdeu as duas primeiras batalhas, ganhou a terceira e foi para o seu último duelo do dia enfrentando Sven, de Luxemburgo, precisando da vitória. Com um resultado apertado, ele venceu por 2 a 1 e conquistou a vaga no critério de desempate (confronto direto). A pressão foi tanta que o menino até esqueceu o dia do seu aniversário.

- A hora que classifiquei comemorei pra caramba, saí de lá em êxtase com a vaga e nem lembrei que ela, além de tudo, era um presente de aniversário. Só lembrei quando os meninos vieram me falar e comemorar comigo - falou. Nas oitavas de final, ele enfrenta o norueguês Erlend. O dia também foi de seletiva para as mulheres, mas a brasileira Marisa Cintra não conquistou sua vaga na final