icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/11/2013
10:53

O Atlético-MG caiu, na teoria, no lado mais forte do chaveamento do Mundial de Clubes. Com grandes chances de enfrentar o Monterrey, campeão da Concacaf, o Galo terá pela frente uma parada difícil. Porém, para o volante do time mexicano, o brasileiro Lucas Silva, o Alvinegro mineiro é quem entra como favorito, neste possível e esperado embate.

- Falar de favortisimo é complicado. No campo são 11 contra 11. Faremos o esforço para conseguir o resultado. Por tradição do futebol brasileiro, o Atlético é favorito, pelos jogadores e pelas estrela que tem. Mas no campo são onze contra onze. Faremos o melhor trabalhar para chegar à semifinal, e depois enfrentar o Atlético da melhor maneira possível, buscando sempre o resultado favorável para a gente - afirmou Lucas, em entrevista ao repórter Leo Gomide, da BandNews FM BH.

Sobre o time do Atlético-MG, em si, o volante comentou sobre a lesão no adutor da coxa esquerda de Ronaldinho, que está em franca recuperação e tem tudo para jogar, realmente, mais um Mundial de Clubes da Fifa.

- A gente comenta, mas a relação a isso, não temos falado muito em Mundial de Clubes. Falta um jogo para terminar o Campeonato local. Depois vamos pensar no Mundial. Acho que, neste fator de Ronaldinho jogar ou não, quem perder é o torcedor - afirmou Lucas, que elogiou, também, o poder de decisão do artilheiro Jô.

-  Tem o Jô, que está muito bem, fazendo gol. É um time muito completo, forte.

Lucas Silva chegou ao Monterrey para a disputa do Apertura mexicano, mas viu o time campeão do continente perder o fôlego. Atualmente, o Monterrey faz uma campanha pífia na competição. O líder é o América e os Rayados ocupam, atualmente, a 13ª colocação, com apenas 17 pontos em 16 jogos (falta apenas uma rodada).

Para enfrentar o Atlético-MG na semifinal do dia 18 de dezembro, o Monterrey precisa passar pelo vencedor do confronto entre Raja Casablanca (Marrocos) e Auckland City (Austrália).