icons.title signature.placeholder Gabriel Cassar
20/02/2015
15:45

Beatriz Haddad Maia, de apenas 18 anos e 234ª do ranking mundial, esteve a um passo de eliminar a cabeça de chave número 1 do Aberto do Rio, a italiana Sara Errani (16ª), pelas quartas de final do torneio de simples feminino. Finalista de grand slam, a italiana sentiu o forte calor na quadra (o saibro chegou a medir 49º C) e por muito pouco não foi derrotada pela brasileira. Mas levou a melhor contando com desistência de Maia. As parciais foram 6-3, 6-7(2) e 3-0. 

Nem o mais otimista dos torcedores brasileiros poderia imaginar como seria o começo do primeiro set. Apoveitando-se dos saques extremamente fracos de Errani (alguns chegaram a apenas 96 km/h), a brasileira quebrou o serviço da cabeça de chave número 1 por duas vezes, abrindo 4 a 0. Lendo melhor a partida, a italiana conseguiu equilibrar o jogo, quebrando um saque de Bia e confirmando o serviço, deixando o set em 4 a 2.

Bocão, técnico da brasileira, entrou em quadra no intervalo e orientou a jogadora. Mais concentrada, Bia sacou muito bem, confirmou seu serviço e e manteve seu nível de tênis, fechando a primeira parcial por 6/3.

No segundo set, o jogo ficou "maluco": nenhuma das tenistas conseguia confirmar o saque. O quebra-quebra começou logo no primeiro game, com Bia frustrando o serviço de Errani. A partir daí, nenhuma das duas tenistas conseguiu vencer o game de saque, numa incrível sequência de 7 quebras em 7 games. No oitavo, Bia colocou a cabeça no lugar e confirmou o primeiro serviço de todo o set, fazendo 5 a 3. 

Ansiosa, Bia teve dois match points no saque da italiana, mas não conseguiu aproveitar e teve seu serviço quebrado logo na sequência. Com o jogo em 5 a 5, a brasileira mostrou um psicológico muito forte e, de maneira espetacular, concretizou a nona quebra do set, deixando o jogo em 6/5.

Novamente sacando para a partida, Bia teve mais um match point e teve que salvar quatro breaks, num dos games mais incríveis da partida. Na quinta chance, a italiana não desperdiçou, levando a partida para o tie break. Jogando muito melhor e se aproveitando dos erros da brasileira, Errani venceu com facilidade por 7 a 2, empatando o jogo.

Se o primeiro set foi dos sonhos, o terceiro foi de pesadelo para a tenista da casa. Após a parada de dez minutos, Bia voltou sentindo a perna esquerda, mal conseguindo andar. Com facilidade, a italiana abriu 2 a 0 e contou com a desistência da brasileira para levar a vaga na semifinal.

Em busca de vaga na decisão, Sara Errani vai enfrentar a sueca Johanna Larsson (69ª), que nesta sexta-feira bateu a alemã Dinah Pfizenmaier por 2 a 0, com parciais de 6-4 e 6-0.

Por causa do incidente, Bia não pôde disputar a partida de duplas ao lado de Teliana Pereira. Mesmo que tivesse condições físicas. Com o WO, a final será entre as duplas Irina-Camelia Begu (ROM)/María Irigoyen (ARG) e Ysaline Bonaventure (BEL)/Rebecca Peterson (SUE).