icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
12/07/2013
10:17

Foi sufoco, mas a Seleção Brasileira feminina de vôlei segue na briga pelo bicampeonato da Universíade. Nesta sexta-feira, em Kazan, na Rússia, a equipe do técnico Hélio Griner eliminou o Japão, nas quartas de final, por 3 sets a 1, parciais de 25-21, 25-16, 18-25 e 28-26, no Saint Petersburg Volleyball Center. Agora, o Brasil aguarda o vencedor do confronto entre Coreia do Norte e Polônia para conhecer seu adversário na semifinal.

A maior pontuadora do Brasil, e da partida, foi a ponteira Regiane, com 21 acertos. Pelo Japão, Ayumi Nakamura anotou 19.

No primeiro set, a Seleção começou mal e as japonesas chegaram a abrir 4 a 0. Mas a equipe brasileira soube manter a tranquilidade, reagiu, virou o placar e garantiu a vitória por 25 a 21.

Na segunda parcial, a disputa começou mais equilibrada. Porém, aos poucos, o Brasil passou a controlar as ações, abriu boa vantagem no fim do set e venceu por 25-16.

No terceiro set, o equilíbrio seguiu como a tônica do jogo. Mas, desta vez, o Japão foi quem teve mais tranquilidade e conseguiu fechar em 25 a 18.

As japonesas entrarm com tudo no quarto set, dispostas a levar a disputa para o tie break. O Brasil, porém, se manteve bem no jogo, até deixar as adversárias virarem o placar. E quando tudo indicava que a partida realmente iria para o tie break, a Seleção conseguiu bons pontos de bloqueio, um ace e fechou o duelo com um 28-26.

Outros esportes

Nos saltos ornamentais, Natali e Nicoli Cruz ficaram em quinto na final da plataforma sincronizada de 10m. As duas somaram 260,19 pontos. O ouro ficou com Chen Ni e Xia Yuhua, da China, com 325,32 pontos. A prata foi para Natalia Goncharova e Yulia Koltunova, da Rússia, com 307,62 pontos. E o bronze ficou com Marisa Daniela Diaz Prieto e Paola Milagros Espinosa, do México, com 283,77 pontos.

Já na na final do trampolim sincronizado de 3m, Ian Matos e Luiz Outerelo terminaram em oitavo, com 347,40 pontos. A medalha de ouro foi conquistada pelos russos Evgeny Kuznetsov e Llia Zakharov, com 479,34 pontos. A prata foi para os chineses Lin Jin e Luo Yutong, com 458,34 pontos. E o bronze ficou com os mexicanos Yahel Castillo Huerta e Alejandro Daniel Islas, com 426,78 pontos.

No primeiro dia do tiro esportivo, Thaís Moura, na pistola de ar (10m), não passou da fase de classifcação. Com 369 pontos, ficou na 41ª posição. Já Guilherme Maurina ficou em oitavo lugar no primeiro dia de disputa da fossa ao somar 69 pontos. O primeiro colocado foi o italiano Valerio Grazini, com 72 pontos.

* O repórter viaja a convite da CBDU

Foi sufoco, mas a Seleção Brasileira feminina de vôlei segue na briga pelo bicampeonato da Universíade. Nesta sexta-feira, em Kazan, na Rússia, a equipe do técnico Hélio Griner eliminou o Japão, nas quartas de final, por 3 sets a 1, parciais de 25-21, 25-16, 18-25 e 28-26, no Saint Petersburg Volleyball Center. Agora, o Brasil aguarda o vencedor do confronto entre Coreia do Norte e Polônia para conhecer seu adversário na semifinal.

A maior pontuadora do Brasil, e da partida, foi a ponteira Regiane, com 21 acertos. Pelo Japão, Ayumi Nakamura anotou 19.

No primeiro set, a Seleção começou mal e as japonesas chegaram a abrir 4 a 0. Mas a equipe brasileira soube manter a tranquilidade, reagiu, virou o placar e garantiu a vitória por 25 a 21.

Na segunda parcial, a disputa começou mais equilibrada. Porém, aos poucos, o Brasil passou a controlar as ações, abriu boa vantagem no fim do set e venceu por 25-16.

No terceiro set, o equilíbrio seguiu como a tônica do jogo. Mas, desta vez, o Japão foi quem teve mais tranquilidade e conseguiu fechar em 25 a 18.

As japonesas entrarm com tudo no quarto set, dispostas a levar a disputa para o tie break. O Brasil, porém, se manteve bem no jogo, até deixar as adversárias virarem o placar. E quando tudo indicava que a partida realmente iria para o tie break, a Seleção conseguiu bons pontos de bloqueio, um ace e fechou o duelo com um 28-26.

Outros esportes

Nos saltos ornamentais, Natali e Nicoli Cruz ficaram em quinto na final da plataforma sincronizada de 10m. As duas somaram 260,19 pontos. O ouro ficou com Chen Ni e Xia Yuhua, da China, com 325,32 pontos. A prata foi para Natalia Goncharova e Yulia Koltunova, da Rússia, com 307,62 pontos. E o bronze ficou com Marisa Daniela Diaz Prieto e Paola Milagros Espinosa, do México, com 283,77 pontos.

Já na na final do trampolim sincronizado de 3m, Ian Matos e Luiz Outerelo terminaram em oitavo, com 347,40 pontos. A medalha de ouro foi conquistada pelos russos Evgeny Kuznetsov e Llia Zakharov, com 479,34 pontos. A prata foi para os chineses Lin Jin e Luo Yutong, com 458,34 pontos. E o bronze ficou com os mexicanos Yahel Castillo Huerta e Alejandro Daniel Islas, com 426,78 pontos.

No primeiro dia do tiro esportivo, Thaís Moura, na pistola de ar (10m), não passou da fase de classifcação. Com 369 pontos, ficou na 41ª posição. Já Guilherme Maurina ficou em oitavo lugar no primeiro dia de disputa da fossa ao somar 69 pontos. O primeiro colocado foi o italiano Valerio Grazini, com 72 pontos.

* O repórter viaja a convite da CBDU