icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/11/2013
03:30

Por um momento, o filme do jogo contra a Rússia passou pela cabeça dos jogadores da Seleção Brasileira masculina de vôlei. Depois de abrir 2 a 0 contra a Itália, na madrugada deste domingo, o Brasil viu o rival reagir e empatar em 2 a 2. Porém, ao contrário do duelo contra os Russos, dessa vez a derrota não veio. E melhor. Com a vitória por 3 sets a 2, parciais de 25-22, 25-22, 23-25, 20-25 e 15-11, em Tóquio (JAP), a equipe do técnico Bernardinho conquistrou o tetracampeonato da Copa dos Campeões.

Em seis edições do torneio, a Seleção venceu este ano e em 1997, 2005 e 2009. Em 1993 e 2001 a equipe ficou com a prata. A vitória nesta madrugada fez o Brasil chegar a 12 pontos e não poder mais ser alcançado pela Rússia, que enfrenta os Estados Unidos ainda neste domingo.

O grande destaque do Brasil foi o oposto Wallace, maior pontuador da partida, com 28 pontos. Quem também se destacou foi o central Lucão, com 21 pontos. Pelo lado italiano, Zaytsev foi o maior pontaduor, com 27 acertos.

O JOGO

A partida começou equilibrada. Ainda sonhando com o título, os italianos partiram com tudo e conseguiram abrir dois pontos de vantagem. Mas o Brasil soube manter a tranquilidade e empatou em 10 a 10.

Com ace de Lucarelli, a Seleção virou para 12 a 11. Logo depois, com bons saques de Wallace, o Brasil dificultou a recepção da Itália e fez 18 a 16. Após ace do central Lucão, a equipe de Bernardinho abriu 21 a 18. Com os italianos forçando o saque, mas cometendo muitos erros, a Seleçao fechou em 25 a 22.

No segundo set, o Brasil continuou bem no saque, agora com Maurício. Com o levantador Bruninho variando bem as jogadas, e a defesa bem posicionada, a Seleção abriu 6 a 3. Contando com o erro de saque italiano, a equipe de Bernardinho foi para a parada técnica vencendo por 8 a 5.

Enquanto o Brasil não cometia erros, a Itália entregava pontos não só em saques, mas também em ataques para fora. Após bloqueio de Wallace, a Seleção aumentou sua vantagem no placar: 11 a 6. A equipe seguia jogando muito bem e fez 15 a 7. Mas os italianos não se entregaram e reagiram para 18 a 14. Com os brasileiros pecando na recepção, a Itália encostou ainda mais: 21 a 18. Porém, o Brasil se tranquilizou e fechou a parcial em 25 a 22.

No terceiro set, a Seleção voltou concentrada, com a defesa bem postada e o ataque mantendo o bom nível. Com isso, o Brasil abriu 4 a 1. Mas a Itália não se deu por vencida, aproveitou um momento de instabilidade do rival, e virou para 8 a 6. Após o tempo técnico, foi a vez de os italianos errarem. Tudo igual: 8 a 8.

Com um saque melhor do que nos sets anteriores, a Itália voltou a ficar na frente: 10 a 8. Aproveitando um Wallace inspirado, Bruninho acionava bastante o oposto, que não decepcionava. E foi dele o ponto de empate em 14 a 14. O duelo seguia equilibrado no set até o Brasil fazer 19 a 18 em saque de Raphael e falha da recepção italiana.

Mas a Itália não desistiu. Porém, em erro de ataque, o Brasil fez 22 a 20. Os italianos, no entanto, reagiram novamente e retomaram a dianteira no marcador: 23 a 22. Bola de segurança de Bruninho, o oposto Wallace empatou em 23 a 23. Porém, o mesmo Wallace errou largadinha em contra-ataque e a Itália fez 24 a 23. Em seguida, em erro de recepção, os italianos fizeram 25 a 23.

No quarto set, o Brasil deu sinais que não se abalou com a derrota na parcial anterior e logo abriu 3 a 1. Mas a Itália empatou em 3 a 3. E, em erro de ataque de Maurício, os italianos fizeram 6 a 5. Com Zaytsev se destacando no ataque, a Itália foi para o tempo técnico vencendo por 8 a 6. Após a parada, os brasileiros deram mais sinais de desconcentração e a diferença aumentou: 10 a 6.

Com Lipe no lugar de Maurício e Éder na vaga de Sidão, o Brasil esboçou uma reação. Mas, na hora de confirmar os contra-ataques e empatar o set, a Seleção vacilava. Errando saques, a Itália desperdiçava chances de aumentar sua vantagem. Porém, a pequena diferença permaneceu e os italianos venceram o set por 25 a 20.

No tie break, em erro de Zaytsev e ace de Wallace, o Brasil abriu 4 a 2. Em grande rali, Lucão finalmente achou Zaytsev e marcou de bloqueio: 5 a 2. Com mais dois bloqueios em sequência, a Seleção parou o ataque rival e fez 7 a 2. Mas os italianos, novamente, não se deram por vencidos e reagiram: 10 a 8.

No entanto, a Seleção soube manter a tranquilidade e garantiu a vitória e o tetracampeonato da Copa dos Campeões.