icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
20/07/2013
22:12

Maior vencedor da história da Liga Mundial com nove títulos, o Brasil poderá aumentar ainda mais sua vantagem neste domingo. A Seleção Brasileira disputará a final do torneio, após derrotar na noite deste sábado a Bulgária por 3 sets a 1, com parciais de 25-12, 25-17, 23-25 e 25-16.

Pela frente, o time do técnico Bernardinho terá uma pedra no sapato dos últimos meses, a Rússia. A seleção europeia bateu o Brasil na final da Olimpíada de Londres, em agosto do ano passado, e também no primeiro jogo das equipes na fase final da Liga Mundial em Mar del Plata, na última quarta-feira.

A decisão do título acontecerá às 20h deste domingo. Antes, às 16h30, Itália e Bulgária disputarão o terceiro lugar.

O JOGO 

O Brasil começou o jogo com más notícias. O oposto Leandro Vissotto não se recuperou de dores no joelho esquerdo causadas por um edema no tendão patelar e ficou fora da partida. Para piorar, o central titular Éder também reclamou de seu joelho direito e ficou o jogo inteiro no banco de reservas, poupado.

Assim, Bernardinho colocou Wallace na posição de oposto (o que já havia feito na vitória sobre o Canadá na sexta-feira), e botou o novato Isac no meio de rede. Apesar das alterações, o Brasil começou o jogo como se não estivesse com peças faltando.

A Seleção fez um primeiro set arrasador, e venceu por 13 pontos de diferença (25-12). Wallace mais uma vez entrou inspirado, e fez sete pontos sozinho apenas nesta parcial. Com um time sólido, diversos jogadores brasileiros pontuaram, como Isac (que não sentiu a pressão de jogar como titular em uma semifinal de Liga Mundial), Dante, Lucão e até mesmo o levantador Bruninho. Já os búlgaros, por sua vez, pouco produziram no ataque, já que se atrapalhavam na recepção.

Na segunda parcial, o time do técnico Camillo Placi elevou um pouco seu nível de jogo, mas novamente não fez frente ao time verde e amarelo. Muito se repetiu do primeiro set, com o Brasil variando jogadas entre suas opções de ataque, e a Bulgária produzindo pouco. Assim, sem muitas dificuldades, a Seleção venceu por 25 a 17 e abriu 2 a 0 no jogo.

No entanto, a partida mudou no terceiro set. A Bulgária começou melhor e mandou no placar. O responsável pela evolução do time adversário foi Aleksiev, que marcou nove pontos. Para piorar, Dante se machucou quando o placar estava 24 a 23 para os europeus. ELe se chocou com Lucarelli em um lance, e saiu de quadra carregado, com dores no joelho esquerdo. Em seguida, a Bulgária fechou o set em 25 a 23.

Dante não entrou mais em quadra, e foi substituído por Maurício. Mais uma vez a Seleção não sentiu o baque de ter de fazer uma troca forçada, e repetiu no quarto set o domínio das duas primeiras parciais. Com um 25-16, o Brasil carimbou seu passaporte para a decisão.

Agora, o time terá a Rússia pela frente. O país tem nas mãos mais uma chance de tirar de seu sapato esta pedra incômoda. 

*O editor viaja a convite da FIVB

Maior vencedor da história da Liga Mundial com nove títulos, o Brasil poderá aumentar ainda mais sua vantagem neste domingo. A Seleção Brasileira disputará a final do torneio, após derrotar na noite deste sábado a Bulgária por 3 sets a 1, com parciais de 25-12, 25-17, 23-25 e 25-16.

Pela frente, o time do técnico Bernardinho terá uma pedra no sapato dos últimos meses, a Rússia. A seleção europeia bateu o Brasil na final da Olimpíada de Londres, em agosto do ano passado, e também no primeiro jogo das equipes na fase final da Liga Mundial em Mar del Plata, na última quarta-feira.

A decisão do título acontecerá às 20h deste domingo. Antes, às 16h30, Itália e Bulgária disputarão o terceiro lugar.

O JOGO 

O Brasil começou o jogo com más notícias. O oposto Leandro Vissotto não se recuperou de dores no joelho esquerdo causadas por um edema no tendão patelar e ficou fora da partida. Para piorar, o central titular Éder também reclamou de seu joelho direito e ficou o jogo inteiro no banco de reservas, poupado.

Assim, Bernardinho colocou Wallace na posição de oposto (o que já havia feito na vitória sobre o Canadá na sexta-feira), e botou o novato Isac no meio de rede. Apesar das alterações, o Brasil começou o jogo como se não estivesse com peças faltando.

A Seleção fez um primeiro set arrasador, e venceu por 13 pontos de diferença (25-12). Wallace mais uma vez entrou inspirado, e fez sete pontos sozinho apenas nesta parcial. Com um time sólido, diversos jogadores brasileiros pontuaram, como Isac (que não sentiu a pressão de jogar como titular em uma semifinal de Liga Mundial), Dante, Lucão e até mesmo o levantador Bruninho. Já os búlgaros, por sua vez, pouco produziram no ataque, já que se atrapalhavam na recepção.

Na segunda parcial, o time do técnico Camillo Placi elevou um pouco seu nível de jogo, mas novamente não fez frente ao time verde e amarelo. Muito se repetiu do primeiro set, com o Brasil variando jogadas entre suas opções de ataque, e a Bulgária produzindo pouco. Assim, sem muitas dificuldades, a Seleção venceu por 25 a 17 e abriu 2 a 0 no jogo.

No entanto, a partida mudou no terceiro set. A Bulgária começou melhor e mandou no placar. O responsável pela evolução do time adversário foi Aleksiev, que marcou nove pontos. Para piorar, Dante se machucou quando o placar estava 24 a 23 para os europeus. ELe se chocou com Lucarelli em um lance, e saiu de quadra carregado, com dores no joelho esquerdo. Em seguida, a Bulgária fechou o set em 25 a 23.

Dante não entrou mais em quadra, e foi substituído por Maurício. Mais uma vez a Seleção não sentiu o baque de ter de fazer uma troca forçada, e repetiu no quarto set o domínio das duas primeiras parciais. Com um 25-16, o Brasil carimbou seu passaporte para a decisão.

Agora, o time terá a Rússia pela frente. O país tem nas mãos mais uma chance de tirar de seu sapato esta pedra incômoda. 

*O editor viaja a convite da FIVB