icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
28/07/2013
11:11

O Brasil terminou neste domingo sua participação histórica no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Apesar de a terceira colocação no quadro de medalhas ser a mesma alcançada dois anos atrás na Nova Zelândia, os brasileiros alcançaram um recorde de conquistas de ouro e no total.

Após nove dias de competição, os brasileiros levaram 16 ouros, dez pratas e 14 bronzes. Apenas Rússia (26 ouros e 56 no total) e Estados Unidos (17 ouros e 52 no total) foram melhores.

O grande destaque da delegação, e até mesmo do Mundial, foi Alan Fonteles, nas categorias T43/44 (para amputados e outros). Sem o sul-africano Oscar Pistorius, ele roubou a cena. Levou três títulos: 100m, 200m e 400m, e um vice, no revezamento 4x100m.
Mas mais do que as vitórias, Fonteles conquistou o público por seu carisma. Antes do início das provas, sempre tinha um atitude diferente diante das câmeras. Mas sempre fazendo um "L" com as mãos para homenagear a noiva Lorrany, com quem oficializou o casamento logo após uma das vitórias.

E quando as vitórias vinham, fazia questão de caminha na pista em frenta às arquibancadas para agradecer o apoio dos torcedores. Realmente, não faltou carisma para ele.

Como também não faltou para Verônica Hipólito, na categoria T38 (para paralisados cerebrais). Caçula da delegação brasileira, com 17 anos, ela emocionou a todos com sua história. E conseguiu grandes resultados na pista como o ouro nos 200m e a prata nos 100m. E olha que essa foi sua primeira grande competição.

Além deles, vale destacar os três ouros de Odair Santos e Terezinha Guilhermina, ambos na classe T11 (para deficientes visuais). Experientes, os dois mostraram que seguem com vontade de vencer e em boa forma.

O grande objetivo é um bom resultado na Paralimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Mas nesse começo de ciclo, o Brasil já mostrou que está bem preparado.

CONFIRA AS MEDALHAS DO BRASIL NO MUNDIAL:

Ouro:

Alan Fonteles – 100m T43 (para amputados e outros) – 10s80 (recorde do campeonato)

Alan Fonteles – 200m T43 (para amputados e outros) – 20s66 (recorde mundial)

Alan Fonteles – 400m T43/44 (para amputados e outros) – 48s58 (recorde do campeonato)

Odair Santos – 1.500m T11 (para deficientes visuais) – 4min6s81

Odair Santos – 5.000m T11 (para deficientes visuais) – 15min33s37

Odair Santos – 800m T11 (para deficientes visuais) – 2min0s50 (recorde do campeonato)

Terezinha Guilhermina – 200m T11 (para deficientes visuais) – 24s74 (igualou recorde do campeonato)

Terezinha Guilhermina – 100m T11 (para deficientes visuais) – 12s16

Terezinha Guilhermina – 400m T11 (para deficientes visuais) – 56s56 (recorde do campeonato)

Lucas Prado – 100m T11 (para deficientes visuais) – 11s45

Lucas Prado – 200m T11 (para deficientes visuais) – 22s55 (recorde do campeonato)

Yohansson do Nascimento – 200m T46 (para amputados e outros) – 21s91 (recorde mundial)

Verônica Hipólito – 200m T38 (para paralisia cerebral) – 27s49 (recorde do campeonato)

Lorena Spoladore – Salto em distância T11 (para deficientes visuais) – 4,37m

Jonathan Santos – Lançamento de disco F41 (para pequena estatura) – 43,11m

Danile Silva - 400m T11 (para deficientes visuais) – 50s38 (recorde do campeonato)

Prata:

Alex Pires – 1.500m T46 (para amputados e outros) – 4min6s4

Alex Pires – 5.000m T46 (para amputados e outros) – 15min10s82

Jerusa Santos – 100m T11 (para deficientes visuais) – 12s80

Jerusa Santos – 200m T11 (para deficientes visuais) – 26s45

Felipe Gomes – 100m T11 (para deficientes visuais) – 11s68

Yeltsin Jacques – 1500m T12 (para deficientes visuais) – 4min3s82

Claudiney Santos – Lançamento de disco F57/58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) – 44,94m

Jonathan Santos – Arremesso de peso F41 (para baixa estatura) – 11,67m

Verônica Hipólito – 100m T38 (para paralisia cerebral) – 13s26

Alan Fonteles, Yohansson do Nascimento, Bruno Araújo, Emicarlo de Souza: Revezamento 4x100m, masculino T41-46 (para amputados e outros) – 41s72

Bronze:

Edson Pinheiro – 100m T38 (para paralisados cerebrais) – 11s30

Yohansson do Nascimento – 100m T46 (para amputados e outros) – 10s99

Ariosvaldo Silva (Parré) – 100m T53 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) – 15s22

Daniel Silva – 200m T11 (para deficientes visuais) – 22s86

Yeltsin Jacques – 800m T12 (para deficientes visuais) – 1min56s59

Alex Pires – 800m T46 (para amputados e outros) – 1min56s45

Shirlene Coelho - Arremesso de peso F37 (para paralisados cerebrais) - 10,19m

Izabela Campos - Arremesso de peso F11 (para deficientes visuais) - 8,63m

Sheila Finder - Salto em distância T46 (para amputados e outros) - 5,14m

Teresinha Santos - 400m T46 (para amputados e outros) - 59s31

Jhulia Santos - 100m T11 (para deficientes visuais) - 13s11

Leonardo Amâncio - Arremesso de peso F58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) - 14,65m

Claudiney Santos - Lançamento de disco F57/F58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) - 45,65m

Ezequiel Costa - Maratona T46 (para amputados e outros) - 3h00m45

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro
 

O Brasil terminou neste domingo sua participação histórica no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Lyon (FRA). Apesar de a terceira colocação no quadro de medalhas ser a mesma alcançada dois anos atrás na Nova Zelândia, os brasileiros alcançaram um recorde de conquistas de ouro e no total.

Após nove dias de competição, os brasileiros levaram 16 ouros, dez pratas e 14 bronzes. Apenas Rússia (26 ouros e 56 no total) e Estados Unidos (17 ouros e 52 no total) foram melhores.

O grande destaque da delegação, e até mesmo do Mundial, foi Alan Fonteles, nas categorias T43/44 (para amputados e outros). Sem o sul-africano Oscar Pistorius, ele roubou a cena. Levou três títulos: 100m, 200m e 400m, e um vice, no revezamento 4x100m.
Mas mais do que as vitórias, Fonteles conquistou o público por seu carisma. Antes do início das provas, sempre tinha um atitude diferente diante das câmeras. Mas sempre fazendo um "L" com as mãos para homenagear a noiva Lorrany, com quem oficializou o casamento logo após uma das vitórias.

E quando as vitórias vinham, fazia questão de caminha na pista em frenta às arquibancadas para agradecer o apoio dos torcedores. Realmente, não faltou carisma para ele.

Como também não faltou para Verônica Hipólito, na categoria T38 (para paralisados cerebrais). Caçula da delegação brasileira, com 17 anos, ela emocionou a todos com sua história. E conseguiu grandes resultados na pista como o ouro nos 200m e a prata nos 100m. E olha que essa foi sua primeira grande competição.

Além deles, vale destacar os três ouros de Odair Santos e Terezinha Guilhermina, ambos na classe T11 (para deficientes visuais). Experientes, os dois mostraram que seguem com vontade de vencer e em boa forma.

O grande objetivo é um bom resultado na Paralimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Mas nesse começo de ciclo, o Brasil já mostrou que está bem preparado.

CONFIRA AS MEDALHAS DO BRASIL NO MUNDIAL:

Ouro:

Alan Fonteles – 100m T43 (para amputados e outros) – 10s80 (recorde do campeonato)

Alan Fonteles – 200m T43 (para amputados e outros) – 20s66 (recorde mundial)

Alan Fonteles – 400m T43/44 (para amputados e outros) – 48s58 (recorde do campeonato)

Odair Santos – 1.500m T11 (para deficientes visuais) – 4min6s81

Odair Santos – 5.000m T11 (para deficientes visuais) – 15min33s37

Odair Santos – 800m T11 (para deficientes visuais) – 2min0s50 (recorde do campeonato)

Terezinha Guilhermina – 200m T11 (para deficientes visuais) – 24s74 (igualou recorde do campeonato)

Terezinha Guilhermina – 100m T11 (para deficientes visuais) – 12s16

Terezinha Guilhermina – 400m T11 (para deficientes visuais) – 56s56 (recorde do campeonato)

Lucas Prado – 100m T11 (para deficientes visuais) – 11s45

Lucas Prado – 200m T11 (para deficientes visuais) – 22s55 (recorde do campeonato)

Yohansson do Nascimento – 200m T46 (para amputados e outros) – 21s91 (recorde mundial)

Verônica Hipólito – 200m T38 (para paralisia cerebral) – 27s49 (recorde do campeonato)

Lorena Spoladore – Salto em distância T11 (para deficientes visuais) – 4,37m

Jonathan Santos – Lançamento de disco F41 (para pequena estatura) – 43,11m

Danile Silva - 400m T11 (para deficientes visuais) – 50s38 (recorde do campeonato)

Prata:

Alex Pires – 1.500m T46 (para amputados e outros) – 4min6s4

Alex Pires – 5.000m T46 (para amputados e outros) – 15min10s82

Jerusa Santos – 100m T11 (para deficientes visuais) – 12s80

Jerusa Santos – 200m T11 (para deficientes visuais) – 26s45

Felipe Gomes – 100m T11 (para deficientes visuais) – 11s68

Yeltsin Jacques – 1500m T12 (para deficientes visuais) – 4min3s82

Claudiney Santos – Lançamento de disco F57/58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) – 44,94m

Jonathan Santos – Arremesso de peso F41 (para baixa estatura) – 11,67m

Verônica Hipólito – 100m T38 (para paralisia cerebral) – 13s26

Alan Fonteles, Yohansson do Nascimento, Bruno Araújo, Emicarlo de Souza: Revezamento 4x100m, masculino T41-46 (para amputados e outros) – 41s72

Bronze:

Edson Pinheiro – 100m T38 (para paralisados cerebrais) – 11s30

Yohansson do Nascimento – 100m T46 (para amputados e outros) – 10s99

Ariosvaldo Silva (Parré) – 100m T53 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) – 15s22

Daniel Silva – 200m T11 (para deficientes visuais) – 22s86

Yeltsin Jacques – 800m T12 (para deficientes visuais) – 1min56s59

Alex Pires – 800m T46 (para amputados e outros) – 1min56s45

Shirlene Coelho - Arremesso de peso F37 (para paralisados cerebrais) - 10,19m

Izabela Campos - Arremesso de peso F11 (para deficientes visuais) - 8,63m

Sheila Finder - Salto em distância T46 (para amputados e outros) - 5,14m

Teresinha Santos - 400m T46 (para amputados e outros) - 59s31

Jhulia Santos - 100m T11 (para deficientes visuais) - 13s11

Leonardo Amâncio - Arremesso de peso F58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) - 14,65m

Claudiney Santos - Lançamento de disco F57/F58 (cadeirantes com sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações) - 45,65m

Ezequiel Costa - Maratona T46 (para amputados e outros) - 3h00m45

*O repórter viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro