icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/04/2014
12:14

O Time Brasil de judô provou novamente sua superioridade e se firmou como campeão geral do Pan-Americano de judô, no Equador. Neste sábado, os judocas conquistaram mais nove medalhas e, somadas às sete anteriores, o Brasil encerra a competição com sete de ouro, quatro de prata e cinco de bronze.

Victor Penalber (81kg), Tiago Camilo (90kg) e Rafael Silva (+100kg) conquistaram os últimos ouros do Brasil, enquanto Maria Suelen Altheman (+78kg) e Luciano Correa (100kg) foram prata e Samanta Soares (78kg), Rochele Nunes (+78kg), Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg) conquistaram o bronze.


Tiago Camilo (esq.) foi campeão do Pan-Americano de Judô na categoria até 90kg e Victor Penalber (dir.), venceu na categoria até 81kg (Foto: Divulgação/CBJ)

Essa foi a primeira competição de Tiago depois da cirurgia do ombro que o tirou das competições durante quase um ano. O judoca venceu suas três primeiras lutas contra Axel Rivera (PUR), Cristhian Gomera (DOM) e Colton Brown (EUA) por ippon. Na decisão, venceu o cubano Andy Gandra por ter uma punição a menos.

- Meu objetivo era fazer uma boa competição e foi isso que aconteceu. Depois de um ano parado, passado por uma cirurgia ser campeão na primeira competição me dá bastante confiança para as próximas. Dedico esse título para minha filha já que a primeira vez que luto depois que ela nasceu - disse Tiago.

- Fico feliz de estar sentindo o gosto de chegar a uma final novamente, de voltar a competir em alto nível. O objetivo continua sendo melhorar e evoluir. Tem que estar melhor que ano passado. Esse título é muito bom mas é apenas o começo de um trabalho - disse Victor Penalber, que também volta de lesão após uma cirurgia no cotovelo.


Rafael Silva se sagrou campeão do Pan-Americano na categoria pesados (+100kg) ao vencer o cubano Óscar Brayson, desclassificado por punições (Foto: Divulgação/CBJ)

O terceiro ouro veio com Rafael Silva (+100kg) que chegou ao tricampeonato pan-americano. O caminho até a decisão não foi muito difícil já que na primeira luta Ramon Pileta, de Honduras, atacou a perna de Rafael e foi desclassificado. Na semifinal, vitória por ippon sobre a promessa do judô equatoriano Freddy Figueroa. E, na decisão contra o cubano Óscar Brayson, "Baby" controlou bem a luta e fez com o que o cubano recebesse quatro punições e fosse desclassificado.

- O Brayson é um atleta experiente, é sempre um adversário complicado. Fiz uma luta bem tática, fazendo prevalecer meu judô. Acho que é um título importante porque é uma prévia dos Jogos Pan-americanos e pude aprender algumas lições e observar os adversários de perto - comentou.

Neste domingo, a competição se encerra no Equador com as disputas por equipes e de Kata. No feminino, o Brasil enfrenta a Guatemala, enquanto no masculino, pega a República Dominicana.