icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
17/12/2013
09:52

A derrota da seleção da Espanha para a Hungria nas oitavas de final do Mundial de Handebol, em Novi Sad, nesta segunda-feira, surpreendeu à comissão técnica e às jogadoras do Brasil. Todos esperavam pela oportunidade de uma revanche contra as ibéricas, uma vez que elas foram responsáveis por tirar o Brasil do Mundial disputado em casa, há dois anos.

No fim, a equipe húngara fez 28 a 21 e será adversária do Brasil nesta quarta-feira, às 14h30 (de Brasília). Duda Amorim, armadora da Seleção, foi a primeira a dizer que acreditava que a Espanha estava em sua melhor forma. Ela foi acompanhada pelo técnico dinamarquês que dirige o Brasil, Morten Soubak. O comandante via as ibéricas como favoritas ao título.

- A maioria, não só no Brasil, esperava que a Espanha saísse daqui com medalha, até de ouro, porque jogaram muito bem na preparação vindo para cá. Quase ganharam da Noruega na estreia do campeonato também. Mas a Hungria chegou para o Europeu como um time entrando num nível top do mundo novamente. É um time fisicamente fortíssimo - disse Morten, após o triunfo sobre a Holanda.

Vale ressaltar que a Espanha atuou sem uma de suas principais atletas neste Mundial. Carmen Martín, uma das algozes da Seleção na partida que tirou-a do Mundial de 2011, fraturou o dedo indicador da mão direita e não pôde atuar mais na competição.

As espanholas haviam sido medalhistas de bronze nos Jogos Olímpicos do ano passado, disputados em Londres.