icons.title signature.placeholder Igor Siqueira e Thiago Correia
03/06/2014
08:18

Um empreendimento bem elaborado pela Fifa, que vai poder levar a Copa do Mundo a qualquer lugar, não será utilizado pelo Brasil. O aplicativo oficial do torneio, que começa no próximo dia 12, recebeu um bom investimento, vai trazer diversas novidades, mas a TV Globo, que poderia explorar o aparato, resolveu não disponibilizar ao público. O conteúdo será produzido no Centro Internacional de Transmissão (IBC), aberto oficialmente nesta seguda-feira no Riocentro, zona oeste do Rio de Janeiro.

- Nós fazemos o aplicativo, e assim como a geração das imagens, repassamos para as emissoras detentoras dos direitos, que definem o que fazer. No caso do Brasil, a TV Globo, que optou por não utilizar o serviço - explicou ao LANCE!Net o alemão Johannes Franken, que trabalha na HBS e desenvolveu o aplicativo.

Disponível por enquanto em 20 países, inclusive alguns que não estão na Copa do Mundo, como o Canadá, tem diversas informações para telefones celulares e tablets, inclusive transmissão ao vivo, em que o usuário pode até escolher entre seis câmeras.

- Duas câmeras mostram o campo, outras duas vão focalizar um craque de cada seleção, e as restantes serão as dos bancos de reservas, para destacar os treinadores - disse Franken.

O aplicativo é desenvolvido pela Host Broadcast System, empresa também responsável pela geração das imagens nos estádios da Copa desde a edição de 2010, na África do Sul. Naquele ano o aplicativo já estava disponível, mas com bem menos funções do que o atual, que segundo Franken, vem sendo desenvolvido há dois anos.

Além da transmissão ao vivo do jogo, o aplicativo funciona com o conceito de "segunda tela". Pelo celular ou pelo tablet, pode-se diminuir a tela principal e ao mesmo tempo conferir estatísticas, vídeos exclusivos e outros dados. Porém, não vai estar disponível para o público brasileiro.