icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/11/2013
03:08

A Seleção Brasileira feminina de vôlei segue imbatível na Copa dos Campeões. Apesar de ter perdido seu primeiro set no torneio, a equipe derrotou a República Dominicana por 3 a 1, parciais de 25-20, 25-15, 22-25 e 25-19, na madrugada desta sexta-feira, em Tóquio (JAP).

Com o resultado, o time comandado por Zé Roberto Guimarães continua invicto na competção. Após três partidas, são três vitórias. Com mais duas rodadas para o fim do torneio, as brasileiras aparecem como favoritas a conquistarem o título. Neste sábado, é a vez de encarar a Rússia.

Os destaques diante das dominicanas foram a oposto Sheilla, que marcou 20 pontos, e a levantadora Fabíola, eleita a melhor do jogo. Já entre as adverárias, De La Cruz pontuou 21 vezes. 

Assim como já tinha feito no duelo anterior, contra a Tailândia, Zé Roberto promoveu novas mudanças na equioe. Dessa vez, a central Adenízia nem foi relacionada para a partida. Fabiana entrou em seu lugar. Fê Garay também voltou ao time, na vaga de Tandara. Assim, o Brassil começou o duelo com: Fabíola, Sheilla, Fê Garay, Natália, Walewska e Fabiana, e a líbero Fabi.

O duelo começou equilibrado. As duas equipes se revezavam na liderança do placar no primeiro set e ninguém conseguia abrir vantagem. Mas com a chegada do segundo tempo técnico, a Seleção Brasileira mostrou superioridade e conseguiu fechar a parcial.

Ao contrário da parcial anterior, a segunda foi um passeio das brasileiras, que fecharam com facilidade. O técnico Zé Roberto até aproveitou para fazer algumas novas mudanças no time, com as entradas de Claudinha, Tandara e Monique.

O problema é que o Brasil relaxou demais e não manteve a força no terceiro set. As dominicanas cresceram na partida e chegaram na frente no segundo tempo técnico. Com muitos erros da Seleção Brasileira, a República Dominicana abriu vantagem e tirou a primeira parcial das adversárias na competição.

Após o tropeço, as brasileiras acordaram. Logo no início da quarta parcial, abriram vantagem. As adversárias até chegaram a encostar e criaram dificuldades. Mas o Brasil se manteve na frente até o fim. Foi com alguns sustos, mas cada vez mais firme rumo ao título.