icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/06/2014
16:10

Não houve pressão da torcida polonesa nem desespero pelo fato de amargar a lanterna do Grupo A da Liga Mundial que tirassem a confiança da Seleção Brasileira masculina de vôlei neste domingo. Em uma de suas melhores exibições na competição, a equipe comandada por Bernardinho se recuperou da derrota da última sexta-feira, bateu a Polônia por 3 sets a 0, parciais de, 25-21, 25-16 e 25-17, em Bydgoszcz (POL), e conseguiu respirar. Porém, as chances de classificação à fase final seguem remotas.

Para conseguir avançar à etapa decisiva, que acontecerá em Florença (ITA), entre 16 e 20 de julho, o Brasil terá de vencer os dois jogos que restam, contra os italianos, fora de casa, nos dias 3 e 6 de julho, e torcer por uma combinação de resultados. A equipe chegou a 11 pontos, mesma marca dos poloneses, mas segue na lanterna pelo saldo de sets e tem dois jogos a mais que o rival. O Irã, que venceu a Itália mais cedo, soma 13, em segundo. A Azzurra lidera com 19.

O maior pontuador do triunfo brasileiro, o quarto em dez partidas na Liga, foi o oposto Wallace, responsável por 16 pontos. O central Lucão também teve boa atuação e contribuiu com 14. Pela Polônia, o ponteiro Konarski marcou 10.

Brasil respira aliviado com grande exibição diante dos poloneses fora de casa (Foto: Divulgação/FIVB)

O JOGO

O Brasil tratou de imprimir um ritmo forte desde os primeiros pontos. Com Wallace no sexteto titular, a Seleção não se intimidou por causa da torcida contrária e abriu 13-10. Um ataque fora de Sidão, no entanto, deixou tudo igual, e obrigou Bernardinho a solicitar tempo para evitar que, assim como no último confronto, uma vantagem fosse por água abaixo.

Quando tudo parecia se complicar, os brasileiros encontraram forças para recuperar uma leve folga na liderança, com boa participação de Rapha e Vissotto, que entraram na inversão. Alternando saques flutuantes e forçados, o Brasil encaminhou a vantagem. E a vitória, por 25-21, veio após um saque de Lucarelli que beliscou a linha da quadra polonesa.

Era, de fato, um Brasil bem diferente da partida disputada em Cracóvia, na sexta-feira. O passe melhorou, permitindo que o levantador Bruninho acelerasse as jogadas. O aumento de confiança também ficou evidente no saque. Em mais uma bomba de Lucarelli no fundamento, a Seleção abriu 13-9 no segundo set. E o técnico Stephane Antiga se viu obrigado a parar o jogo.

De nada adiantou. Em mais um saque mortal do camisa 10, os maiores vencedores da Liga Mundial anotaram 15-9. E a vantagem chegou a sete após um ataque errado da Polônia pelo meio. Como se não bastasse brilhar no fundo, Lucarelli armou um muro na rede para bloquear os ataques de Winiarski e companhia. Wallace completou a festa cravando a bola no corredor para fazer 25-16.

O Brasil começou bem o terceiro set e abriu 8 a 3, contando com o crescimento de Murilo. O ponteiro, embora apagado no setor ofensivo, cumpria bem seu papel no fundo de quadra e começava a dar mostras de que poderia ser útil na definição das jogadas. A equipe até se desconcentrou e permitiu que os rivais se aproximassem, mas retomou o foco a tempo. Após bloqueio de Lucão, veio a vitória por 25-17.