icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2013
17:49

O período de testes da Seleção Brasileira feminina de basquete visando a disputa do 33º Campeonato Sul-Americano terminou com gosto amargo. No último domingo, as meninas do técnico Luiz Zanon foram derrotadas pela Argentina por 74 a 66, em General Alvear.

Quem mais brilhou do lado brasileiro foi a pivô Damiris Dantas, que anotou 18 pontos, nove rebotes, quatro roubos de bola e um toco. Clarissa Santos, também pivô, garantiu 12 pontos e sete rebotes. Mas o desempenho coletivo não agradou ao comandante, que destacou a falta de equiilíbrio de suas comandadas nos momentos decisivos.

- Não estamos contentes com o resultado porque não perdemos jogando no nosso limite máximo. Estivemos atrás do marcador, viramos, mas não tivemos consistência para manter o ritmo. Na hora decisiva, a Argentina teve mais equilíbrio e foi mais fria, conquistando a vitória. O resultado não era o mais importante, pois nosso primeiro objetivo é a formação de uma nova equipe, mas é claro que se pudermos vencer sempre é melhor - disse Zanon.

Sem pensar em perder a confiança, a equipe verde-amarela se concentra na partida contra o Chile, já nesta quarta-feira, às 14h (de Brasília), na estreia do Sul-Americano, em Mendoza. O Brasil venceu as últimas 13 edições e tenta agora a sua 24ª conquista na história da competição.

Além do Chile, as brasileiras terão pela frente, no Grupo A, o Peru e a Colômbia. No Grupo B, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela medirão forças.

- Tivemos algumas informações sobre os adversários. Sabemos que o Chile vem com seu melhor plantel e que fez um bom amistoso contra o Paraguai, que estava desfalcada de sua melhor jogadora. Mas acho que o Brasil é a bola da vez e todos os adversários, independente do nível vão querer nos vencer pelo histórico que o país possui em Sul-Americanos. Nosso preparo foi todo para manter essa hegemonia, mesmo com um grupo bastante novo em que o lado emocional ainda não está aflorado, no que diz respeito ao comportamento - avaliou o técnico.

Os dois primeiros colocados de cada chave avançam para a semifinal. Já as quatro seleções mais bem colocadas ao final da disputa garantem vaga na Copa América do México, de 23 a 28 de setembro, que irá classificar três países para o Mundial da Turquia, em 2014.

O período de testes da Seleção Brasileira feminina de basquete visando a disputa do 33º Campeonato Sul-Americano terminou com gosto amargo. No último domingo, as meninas do técnico Luiz Zanon foram derrotadas pela Argentina por 74 a 66, em General Alvear.

Quem mais brilhou do lado brasileiro foi a pivô Damiris Dantas, que anotou 18 pontos, nove rebotes, quatro roubos de bola e um toco. Clarissa Santos, também pivô, garantiu 12 pontos e sete rebotes. Mas o desempenho coletivo não agradou ao comandante, que destacou a falta de equiilíbrio de suas comandadas nos momentos decisivos.

- Não estamos contentes com o resultado porque não perdemos jogando no nosso limite máximo. Estivemos atrás do marcador, viramos, mas não tivemos consistência para manter o ritmo. Na hora decisiva, a Argentina teve mais equilíbrio e foi mais fria, conquistando a vitória. O resultado não era o mais importante, pois nosso primeiro objetivo é a formação de uma nova equipe, mas é claro que se pudermos vencer sempre é melhor - disse Zanon.

Sem pensar em perder a confiança, a equipe verde-amarela se concentra na partida contra o Chile, já nesta quarta-feira, às 14h (de Brasília), na estreia do Sul-Americano, em Mendoza. O Brasil venceu as últimas 13 edições e tenta agora a sua 24ª conquista na história da competição.

Além do Chile, as brasileiras terão pela frente, no Grupo A, o Peru e a Colômbia. No Grupo B, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela medirão forças.

- Tivemos algumas informações sobre os adversários. Sabemos que o Chile vem com seu melhor plantel e que fez um bom amistoso contra o Paraguai, que estava desfalcada de sua melhor jogadora. Mas acho que o Brasil é a bola da vez e todos os adversários, independente do nível vão querer nos vencer pelo histórico que o país possui em Sul-Americanos. Nosso preparo foi todo para manter essa hegemonia, mesmo com um grupo bastante novo em que o lado emocional ainda não está aflorado, no que diz respeito ao comportamento - avaliou o técnico.

Os dois primeiros colocados de cada chave avançam para a semifinal. Já as quatro seleções mais bem colocadas ao final da disputa garantem vaga na Copa América do México, de 23 a 28 de setembro, que irá classificar três países para o Mundial da Turquia, em 2014.