icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
10/06/2014
09:05

Daniel Atardo, de 45 anos, torcedor do Rosário Central. Esse foi o primeiro barrabrava argentino deportado pelas autoridades brasileiras. Na noite desta segunda-feira, o argetino tentou desembarcar no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, mas foi obrigado a voltar ao seu país - sua esposa também teve de retornar.

O torcedor consta na lista de mais de dois mil argentinos com antecedentes por violências em estádios argentinos, que não terão vida fácil para chegar ao Brasil. Essa relação, entregue pelo governo argentino às autoridades brasileiras, causou revolta dos barrabravas argentinos que, durante meses, pediram igualdade de condições com os demais turistas que pretendem acompanhar a Copa do Mundo no Brasil.

Débora Hambo, advogada dos 'barrabravas', afirmou que pedirá um recurso contra esta decisão.