icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
03/07/2013
14:53

A três dias da cerimônia de abertura da Universíade Kazan-2013, os atletas brasileiros começaram a ocupar seu espaço na Vila. Na madrugada desta quarta-feira, chegaram na cidade russa as equipes feminina e masculina de vôlei e o time feminino de futebol. À tarde, foi a vez das judocas Ketleyn Quadros e Rochele Nunes.

Em Kazan, a delegação brasileira será composta por 225 atletas em 22 modalidades. O país busca superar o seu recorde de medalhas obtido na última edição, em 2011, na cidade de Shenzhen, na China. Na ocasião, foram conquistadas 18 medalhas, sendo duas de ouro, quatro de prata e 12 de bronze.

Noite desta quarta-feira em Kazan, a equipe feminina de vôlei atraiu a atenção de quem passava na Vila. O grupo parou para tirar foto para a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) antes do jantar e sofreu algumas abordagens. Atletas da suíça mostraram encanto com a beleza das atletas. Colombianos quiseram tirar fotos com as jogadoras. E um grupo que passava num carro gritou "Brasil, samba!".

Veterana de Universíade - participa pela terceira vez -, a ponteira Amanda gostou da estrutra da Vila. Como a equipe ainda não realizou nenhum treino em Kazan, apenas um trabalho físico na tarde desta quarta, na academia, a jogadora não pôde falar sobre o ginásio de jogo.

- A Vila está menor do que a da edição anterior, porém é mais centralizada. Na China era mais robusta, mas nessa o deslocamento dentro é menor. E ainda tem bicicleta e patinete que ajudam. Gostei da divisão dos prédios e dos alojamentos - disse Amanda, que já sonha com o bicampeonato consecutivo da Universíade.

* O repórter viaja a convite da CBDU

A três dias da cerimônia de abertura da Universíade Kazan-2013, os atletas brasileiros começaram a ocupar seu espaço na Vila. Na madrugada desta quarta-feira, chegaram na cidade russa as equipes feminina e masculina de vôlei e o time feminino de futebol. À tarde, foi a vez das judocas Ketleyn Quadros e Rochele Nunes.

Em Kazan, a delegação brasileira será composta por 225 atletas em 22 modalidades. O país busca superar o seu recorde de medalhas obtido na última edição, em 2011, na cidade de Shenzhen, na China. Na ocasião, foram conquistadas 18 medalhas, sendo duas de ouro, quatro de prata e 12 de bronze.

Noite desta quarta-feira em Kazan, a equipe feminina de vôlei atraiu a atenção de quem passava na Vila. O grupo parou para tirar foto para a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) antes do jantar e sofreu algumas abordagens. Atletas da suíça mostraram encanto com a beleza das atletas. Colombianos quiseram tirar fotos com as jogadoras. E um grupo que passava num carro gritou "Brasil, samba!".

Veterana de Universíade - participa pela terceira vez -, a ponteira Amanda gostou da estrutra da Vila. Como a equipe ainda não realizou nenhum treino em Kazan, apenas um trabalho físico na tarde desta quarta, na academia, a jogadora não pôde falar sobre o ginásio de jogo.

- A Vila está menor do que a da edição anterior, porém é mais centralizada. Na China era mais robusta, mas nessa o deslocamento dentro é menor. E ainda tem bicicleta e patinete que ajudam. Gostei da divisão dos prédios e dos alojamentos - disse Amanda, que já sonha com o bicampeonato consecutivo da Universíade.

* O repórter viaja a convite da CBDU