icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2014
17:07

Bruninho bem que avisou: 'Lá na frente, a gente pega eles', referindo-se à Itália, logo após a segunda derrota do Brasil para a Azzurra, em Jaraguá do Sul (SC), na abertura da Liga Mundial de Vôlei, em maio. Consciente, o levantador foi um dos destaques da vitória da equipe de Bernardinho sobre o rival por 3 sets a 1, parciais de 25-16, 20-25, 25-19 e 25-19, em Bolonha (ITA), nesta quinta-feira. Agora, a Seleção está cada vez mais perto da fase final. Novo triunfo por este placar garante a classificação. Um feito que, por diversas vezes, pareceu improvável.

Brasil, com 14 pontos, e Itália, com 19, voltam a se enfrentar no próximo domingo, às 12h (de Brasília), em Milão. Se perder, a Seleção dependerá dos resultados do outro confronto. Nesta sexta-feira e no sábado, o líder Irã (19) e a Polônia (11) medem forças. E o ideal é que os poloneses somem o menor número possível de pontos.

Um duelo de opostos marcou o confronto em Bolonha. O italiano Ivan Zaytsev foi o maior pontuador, com incríveis 30 acertos. Mas o jogo centralizado no astro não favoreceu a Azzurra desta vez. Wallace, pelo lado brasileiro, se destacou com 22, seguido pelos centrais Lucão e Sidão, com 13.

A fase final da Liga Mundial, entre 16 e 20 de julho, terá seis equipes: os dois primeiros colocados dos Grupos A e B, o vencedor de um quadrangular envolvendo os Grupos C, D e E e a anfitriã Itália.

O JOGO

O Brasil começou a partida atropelando e com consciência em todos os fundamentos. Murilo, no passe, e Wallace, no ataque, tornavam sólida a base do técnico Bernardinho. A Seleção chegou à frente na primeira parada técnica e não demorou para abrir 11-6, obrigando pedido de tempo do técnico italiano Mauro Berruto. De pouco adiantou para os donos da casa. Os papeis do início do torneio se inverteram, e agora era o time verde-e-amarelo que passeava em quadra. Uma diagonal firme de Lucarelli fechou a primeira parcial, em 25-16.

A partida recomeçou do mesmo jeito. Estrela do time italiano na Liga, Zaytsev sentiu o peso da 'parede' Sidão logo de cara: 2 a 0 para o Brasil. Em seguida, porém, a Azzurra se acertou, cresceu nos contra-ataques e levou o placar para 8-6. E Zaytsev definitivamente mostrou que não estava entregue. Com boas definições do oposto, a Itália marcou 20-15. O ponteiro Parodi fechou a conta em 25-20.

Depois de um set para cada lado, o jogo ficou mais intenso. O Brasil começou melhor, ainda que abusasse dos erros de saque. Mas Bruninho acertou na distribuição do jogo e variou. Ora Wallace, ora Lucarelli e, quando o bloqueio azul menos esperava, Sidão, para fazer 13-9. Restou aos donos da casa tentarem desestabilizar os brasileiros com provocações. O clima ficou quente, mas os visitantes respiraram. E ainda contaram com um saque errado de Zaytsev para fazer 25-19.

O quarto set começou com um show de Sidão. No ataque e no bloqueio, o central brilhou. As bolas rápidas pelo meio, aliás, foram o caminho encontrado por Bruninho, que também não hesitou em acionar Lucão. Mas o jogo era difícil. Os italianos mantinham-se na cola. E eram necessárias defesas e mais defesas para equilibrar a partida. Neste quesito, Murilo não decepcionou. Na reta final, a Itália tornou tudo ainda mais fácil, cedendo erros em sequência. Um bloqueio triplo em Zaytsev selou a importante vitória brasileira.

Falta pouco para mostrar que a camisa verde-e-amarela tem seu peso.