icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2013
19:05

Uma fórmula bastante conhecida, e que costuma dar certo, na montagem de elencos é a mescla de experiência com juventude. No Botafogo, isso não foi diferente. Com as vendas de Fellype Gabriel e de Andrezinho, Vitinho ganhou a titularidade, enquanto outros garotos como Gegê, Jeferson e Octávio se tornaram peças de reposição.

Além disso, com a lesão do lateral-direito Lucas, o treinador Oswaldo de Oliveira preferiu a entrada do jovem Gilberto a Edílson. Para o zagueiro Bolívar, isso é a prova de que o Botafogo está fazendo um bom trabalho nas categorias de base.

- Desde o primeiro semestre, o Oswaldo conseguiu mesclar juventude com experiência. Isso é muito bom, pois sabemos que a cada ano que passa, surgem novos jogadores de muita qualidade. No Botafogo, hoje, todos os setores contam com jovens. É uma fórmula que vem dando certo - disse o camisa 4.

Já o lateral Gilberto acredita que a grande quantidade de atletas da base no profissional fez com que ele se adaptasse mais rapidamente ao elenco.

- Não sei como é chegar ao grupo sozinho. Mas chegar e ver o pessoal que eu conheço é bem bacana. Deixa a adaptação mais fácil. O grupo é bom, o que me deixa bem tranquilo - explicou o camisa 13.

Uma fórmula bastante conhecida, e que costuma dar certo, na montagem de elencos é a mescla de experiência com juventude. No Botafogo, isso não foi diferente. Com as vendas de Fellype Gabriel e de Andrezinho, Vitinho ganhou a titularidade, enquanto outros garotos como Gegê, Jeferson e Octávio se tornaram peças de reposição.

Além disso, com a lesão do lateral-direito Lucas, o treinador Oswaldo de Oliveira preferiu a entrada do jovem Gilberto a Edílson. Para o zagueiro Bolívar, isso é a prova de que o Botafogo está fazendo um bom trabalho nas categorias de base.

- Desde o primeiro semestre, o Oswaldo conseguiu mesclar juventude com experiência. Isso é muito bom, pois sabemos que a cada ano que passa, surgem novos jogadores de muita qualidade. No Botafogo, hoje, todos os setores contam com jovens. É uma fórmula que vem dando certo - disse o camisa 4.

Já o lateral Gilberto acredita que a grande quantidade de atletas da base no profissional fez com que ele se adaptasse mais rapidamente ao elenco.

- Não sei como é chegar ao grupo sozinho. Mas chegar e ver o pessoal que eu conheço é bem bacana. Deixa a adaptação mais fácil. O grupo é bom, o que me deixa bem tranquilo - explicou o camisa 13.