icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/02/2015
08:02

Quarta opção na pré-temporada, o atacante Jobson tem mostrado que ainda possui muito gás, e é um dos destaques do Botafogo neste Campeonato Estadual. Por isso, é bom a diretoria se mexer o quanto antes, já que o atual camisa 7 tem vínculo com o clube até o dia 24 de junho. Por conta disso, o jogador já pode até assinar um pré-contrato e deixar o Alvinegro sem qualquer retorno financeiro ao clube de General Severiano.

Internamente, o jogador já revelou o desejo de prolongar o vínculo com o Glorioso. Entretanto, nenhuma negociação entre as partes chegou a ser iniciada. Em conversa com LANCE!, o vice-presidente de futebol Antônio Carlos Mantuano foi cauteloso ao falar sobre o caso, porém, garantiu que as negociações acontecerão no momento certo.

– Essa situação será resolvida dentro das possibilidades do Botafogo e do próprio Jobson. Por enquanto, ainda não temos nada especificamente conversado. Ele tem se comportado como um atleta, está muito bem. Não temos do que nos queixar até o momento. Vamos aguardar – disse Mantuano.

Procurado pela reportagem do L!, Antenor Joaquim, agente do jogador não foi encontrado. 

Capitão alvinegro, o goleiro Jefferson ressaltou o bom momento vivido pelo companheiro dentro e fora dos gramados e garante que Jobson está aproveitando da melhor maneira a oportunidade dada pelo técnico René Simões.

– A qualidade do Jobson é indiscutível, é um jogador que praticamente está no nível de Europa, é sensacional. Só depende dele. Por isso está focado no trabalho, sabe que é uma das poucas chances. O Botafogo abriu as portas e ele está abraçando. Todo mundo conversa com ele, mas é um cara que tomou juízo e vai ajudar muito no transcorrer deste ano – afirmou Jefferson à ESPN Brasil.

Na busca pela recuperação do jogador, uma das condições do técnico René Simões e da cúpula de futebol para a permanência do atacante, em 2015, era de que Jobson não teria um tratamento diferenciado dos demais atletas. Atualmente, o clube não conta com uma equipe de psicólogos. Anteriormente, em outras passagens, ele tinha de se consultar com especialistas regularmente. 

O atacante chegou ao Glorioso em 2009 e ajudou a equipe a se livrar do rebaixamento no Brasileirão daquele ano. Depois de idas e vindas, retornou à equipe no fim de 2014, perdeu um pênalti, no qual praticamente selou a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro de 2015.