icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
15/11/2013
07:20

Terrorismo. A palavra que tira o sono dos americanos neste século voltou a surgir no início deste ano. Em 15 de abril, um ataque a bomba deixou três mortos em um dos eventos mais tradicionais do esporte local: a Maratona de Boston. Mas, menos de sete meses depois, a cidade não só juntou os cacos da tragédia como já ambiciona sediar competição muito maior: uma Olimpíada.

É o que um grupo de influentes empresários da região pretende. Foi montado um comitê organizador da pré-candidatura de Boston à Olimpíada de 2024, em movimento que angariou o apoio de nomes como o do candidato à presidência americana no ano passado, Mitt Romney, e de Robert Kraft, proprietário do New England Patriots, um dos maiores times da NFL.

Em busca de apelo para a campanha, deixou-se de lado o temor de novos ataques. Entrou em cena outro viés, simbolizado pelo slogan “Boston strong” que, em tradução livre do inglês para o português, significa “Boston firme”. Em conquista recente da Major League Baseball (a principal liga de beisebol do país), o time do Boston Red Sox exibiu camisas com a frase (veja a foto acima).

– Posso dizer que Boston é uma cidade cujas pessoas são assim: firmes e orgulhosas. Não consigo ver estas características mudando tão cedo. Temos recebido suporte de muitos atletas olímpicos com laços com a cidade. Torço para que mais deles possam se juntar a nós nos próximos meses – disse Eric Reddy, fundador do comitê organizador da candidatura de Boston, em entrevista ao L!Net.

Kayla Harrison, campeã olímpica no judô em Londres-2012, é uma das principais garotas-propaganda da campanha de Boston. O processo, porém, ainda levará um longo tempo. Em outubro, membros do Comitê Olímpico Americano (Usoc, em inglês) fizeram a primeira visita a possíveis sedes da Olimpíada em Boston, como o TD Banknorth Garden, arena do Boston Celtics, e o Gillette Stadium, estádio do Patriots.

O Usoc, por sua vez, anunciará a cidade escolhida para representar o país americano na briga por 2024 somente em 2015. O Comitê Olímpico Internacional (COI) dirá quem sediará os Jogos só em 2017. A trajetória, de fato, é longa. A autoestima de Boston, porém, demorou menos de sete meses para ser recobrada.

Chefe policial integra comitê

Um dos nomes mais fortes do comitê de Boston-2024 é também figura-chave na resolução do caso dos atentados. Edward F. Davis, comissário da polícia de Boston, foi trazido para o grupo de empresários justamente pelo fato de ter ganho notoriedade na época.

– Por que não Boston? O que mais me anima é que temos um plano, uma boa proposta – disse Davis ao jornal “Boston Globe”.

Na ocasião, três dias após o atentado, a polícia perseguiu um dos suspeitos de arquitetar o ato. Tamerlan Tsarnaev, de 27 anos e origem chechena, foi morto. Seu irmão mais novo, Dzhokhar (20 anos) foi capturado e está preso.